Tribuna das Ilhas

quarta, 06 janeiro 2016 15:18

Angústias Atlético Club comemora 93 anos

O Angústias Atlético Club comemora hoje 93 anos de existência. O dia 6 de janeiro marca o nascimento deste clube, o segundo clube desportivo especialmente vocacionado para a prática de futebol a ser fundado no faial.

Passam hoje, 5 de janeiro, dois anos em que foram inauguradas as obras de reabilitação e colocação do relvado sintético do Grupo Desportivo Cedrense.

Num investimento de cerca de 200 mil euros, esta obra desencadeou-se para aproveitar o antigo sintético do Estádio da Alagoa, que foi retirado quando foi necessário ampliar o campo, altura em que foi também substituído o relvado, com o novo piso a ser inaugurado no final de 2011. O piso antigo, em condições de ser reutilizado, foi assim colocado no campo da Lajinha, num investimento do clube que contou com apoios do Governo Regional e da Câmara Municipal da Horta, esta última proprietária dos terrenos, cedidos ao Cedrense. Este investimento permitiu ainda aumentar as medidas do campo, que passa assim a estar apto para receber competições de âmbito nacional.

A ilha do Faial conta atualmente com três relvados sintéticos, nos Flamengos, nos Cedros e no Estádio da Alagoa. Estes dois últimos são os únicos campos da ilha com dimensões que permitem receber provas de âmbito nacional. 

Sílvio Nogueira estreou-se pela Seleção Nacional de Andebol em cadeira de rodas.

O Sílvio foi titular no jogo contra a Holanda que deu a Portugal o segundo lugar no European Wheelchair Handball Nations Tournament, competição organizada pela EHF e que decorreu na Áustria.

Conforme escreveu na página oficial do seu clube, "participar no European Wheelchair Handball Nations Tournament é a realização de um sonho, poder ouvir o nosso hino estando a representar Portugal é maravilhoso. Chegou ao fim o torneio, o resultado não foi o que queríamos, perdemos 14-11 na final frente a Holanda, estamos orgulhosos pelo nosso trabalho, os Portugueses podem se orgulhar da nossa participação, não faltou empenho, dedicação e entrega em todos os jogos e mesmo fora campo, representamos o nosso pais a um grande nível e saímos de cabeça erguida. Prometemos continuar a trabalhar para conseguir levar sempre o nome do nosso pais ao mais alto nível."

"Irei continuar a trabalhar para merecer a confiança do Selecionador Nacional Danilo Ferreira para os próximos trabalhos da seleção para poder estar presente na próxima competição internacional de Andebol em Cadeira de Rodas será na Suécia, em 2016. A prova, a disputar igualmente no formato "open", contará com a participação de 6 a 8 equipas. Espero que Portugal lá consiga estar", pode ler-se na página do APD Braga. 

 

quarta, 30 dezembro 2015 12:21

Campeonato de Ralis dos Açores 2016

Já foi disponibilizado o calendário das provas do Campeonato de Ralis dos Açores de 2016.

Este campeonato começa nos dias 1 e 2 de abril, na ilha Terceira, com o XXXV Rali Sical. Prossegue a 6 e 7 de maio no Faial com o XXVI Rali Ilha Azul – Além Mar. No mês seguinte, 2 e 4 de Junho, vai até São Miguel, onde decorre o 51.º Sata Rallye Açores.

A 15 e 16 de julho volta a ser organizado em São Miguel, desta feita com o Lotus Rallye. Nos dias 23 e 24 de setembro os pilotos vão até à Terceira disputar o 16.º Rali Além Mar – XXXVIII Ilha Lilás.

A fechar este campeonato temos o V Rali Ilha do Pico, nos dias 21 e 22 de outubro.

g O Clube de Ténis do Faial foi criado a 24 de setembro de 1979, sendo seus sócios fundadores António Ramos, Carlos Silveira, João Albuquerque, Jorge Gonçalves e Vergílio Brum.
Durante 25 anos utilizou, mediante protocolo de aluguer, as instalações do Hotel Fayal com as limitações inerentes às solicitações dos hospedes e à existência de apenas dois courts.
Após uma tentativa gorada de se criarem instalações próprias, em terreno cedido pela Câmara Municipal da Horta, junto ao atual campo de futebol da Feteira, no ano 2000 o Governo Regional dos Açores declarou o clube de Utilidade Pública e atribuiu um subsidio para apoiar um projeto de arquitetura para instalações desportivas, ao mesmo tempo autorizava a cedência, a título definitivo e gratuito, de uma gleba de terreno com uma área de 4500 m2 com acesso pelas ruas Mestre Jaime Lopes e Príncipe Alberto de Mónaco para sua implantação.
A 27 de setembro de 2006, foram inauguradas as atuais instalações, edificadas segundo projeto do Arq. Victor Frazão: 4 courts de ténis com as respetivas vedações e iluminação, uma pequena bancada e uma sede provisória acomodada em 2 pré-fabricados.
Neste momento o Clube reactivou a sua escola de ténis e tem mantido atividade regular.
Como Treinador da Escola de Ténis está João Costa Pereira, formado em Educação Física com quem Tribuna das Ilhas esteve à conversa.

Como surgiu esta ideia/necessidade de reativar a escola de ténis do CTF?
Tratou-se de um desafio que me foi colocado pela direção do Clube, que procurava alguém que quisesse assumir o projeto de tentar reativar e dinamizar a escola de ténis e o Clube em geral. Uma vez que gosto de praticar a modalidade, tenho formação na área da educação física e estou de regresso à ilha do Faial, achei que era uma oportunidade de fazer algo que gosto e, simultaneamente, um desafio de tentar promover não só a modalidade mas reativar o próprio Clube de ténis.

Como vai funcionar?
A escola funciona todos os dias ao final da tarde. Os horários foram elaborados tendo em conta a disponibilidade dos alunos e os seus compromissos escolares. As classes foram constituídas por nível e idade dos atletas.

Vão organizar-se torneios?
Serão organizados torneios ao longo de toda a época desportiva. Tanto para os alunos da escola, como para os sócios do Clube e população em geral. Aliás, desde agosto passado, o Clube já organizou dois torneios (Torneio Semana do Mar e Torneio Aniversário CTF), ambos destinados aos sócios e à população faialense que já praticou ou gostaria de experimentar a modalidade. Esses torneios tinham como objetivos a divulgação do Clube, a sua abertura à sociedade e, ao mesmo tempo, a promoção da atividade física e de estilos de vida saudáveis. A adesão foi boa, resultando no regresso de alguns atletas que não praticavam a modalidade há algum tempo, e no ingresso de pessoas que nunca a tinham experimentado. Neste momento, estão abertas inscrições para um torneio que irá decorrer ao longo de 5 meses, chamado Torneio Escada, e estão previstos mais alguns a serem disputados em alturas de férias e datas importantes para o Clube. Em relação a torneios oficiais para os atletas da escola de ténis, estes serão organizados ao longo da época desportiva, no mínimo dois para cada escalão. Para além destes, o Clube tem o objectivo de levar o número máximo de atletas a torneios regionais, visto que estes têm extrema importância para o seu desenvolvimento desportivo e social, sendo mais um estímulo para levar os jovens a praticar a modalidade.

Quantos alunos estão inscritos?
Neste momento a Escola tem quinze alunos inscritos, divididos nos vários escalões etários. As inscrições continuam abertas, e qualquer pessoa tem a possibilidade de ir a uma aula grátis para experimentar a modalidade e ver como a prática do ténis é algo muito divertido, importante para o desenvolvimento social e mental das pessoas e, ao mesmo tempo, permite a prática de um desporto, melhorando desta forma as suas capacidades físicas.

Como é a recetividade dos jovens a esta modalidade?
Pela experiência que tenho tido até agora, acho que os jovens gostam muito de praticar esta modalidade. Todos os que foram experimentar acabaram por se inscrever, e o nível de assiduidade é muito elevado, o que indica que eles gostam e querem voltar. O ténis é um desporto que, por ser individual, faz com que cada um tenha o objectivo de ser melhor que ele próprio todos os dias, e a evolução que eles têm é muito grande, o que faz com que sintam grande felicidade e motivação em voltar para continuar a evoluir. É importante que eles cheguem ao final do treino satisfeitos, com a sensação de que aprenderam alguma coisa nova e conseguiram ter sucesso.

Em outros tempos o CTF tinha quase uma centena de atletas federados. O que aconteceu?
Uma vez que não estive na ilha nos últimos anos, não acompanhei o desenvolvimento do Clube. No entanto, a informação que me foi transmitida pelos dirigentes é que os números não parecem ter atingido esses valores; contudo, o Clube teve bastantes atletas federados, sobretudo nos escalões da formação e a realizarem provas locais, regionais e até participando em fases nacionais.
Por aquilo que me explicaram, o decréscimo na atividade da escola de ténis ficou a dever-se a factores vários como o alargamento do horário do ensino básico, podendo as crianças ficar no espaço escolar até mais tarde, não havendo necessidade dos pais encontrarem atividades ocupacionais para elas, como era o caso do ténis; o facto de o ténis ser uma modalidade em que se paga para praticar, ao invés das muitas outras modalidades desportivas, ao que se juntou a crise financeira dos últimos anos, fazendo com que muitos pais optassem por inscrever os filhos noutras modalidades.

Quais são os objetivos para o CTF?
Os objetivos iniciais que por nós foram assumidos foram os da reativação da escola de ténis, a sua divulgação, promovendo o maior número de inscrições possível. Para além disso, tentar aumentar a utilização dos campos de ténis, através de torneios para jovens e para adultos, fomentando a prática da modalidade aos sócios e a toda a comunidade. Este é considerado o ponto de partida para o crescimento sustentável do Clube, e o passo mais dificil para o seu desenvolvimento. A partir daqui tentaremos crescer em relação ao número de inscritos na escola de ténis e participantes nos torneios organizados. O grande objectivo é dar ao Clube de Ténis do Faial o estatuto que já teve noutros anos.

Como qualifica as condições das estruturas físicas existentes neste Clube?
As condições do Clube de ténis são muito boas, ao nível do melhor que existe na região. Os campos são recentes, estão em muito bom estado de conservação, estão preparados para serem utilizados sem luz natural e encontram-se num sítio fantástico, com uma vista espetacular para a ilha do Pico. Oferece as condições necessárias para o desenvolvimento da modalidade e para a evolução de todas as pessoas que o queiram praticar. Para além disto, dispõem de espaço suficiente para acrescentar novas infraestruturas que podem tornar-se fundamentais para o crescimento da modalidade na nossa ilha, tais como um campo coberto, essencial para promover uma prática regular, mesmo quando as condições atmosféricas estiverem adversas, algo muito comum na nossa região.

Porque é que a maioria dos Faialenses desconhece o local onde se encontra instalado o CTF?
Apesar do sítio ser muito bom e fornecer todas as condições, o seu acesso é um pouco “escondido”, o que, juntando o facto de o Clube ter sido pouco divulgado nos últimos anos, fez com que não houvesse motivos de interesse para que as pessoas o procurassem. Para todos os interessados, a entrada para o Clube é feita pela Rua Príncipe Alberto de Mónaco, logo depois do supermercado Marbraz. Venham visitar o Clube que não se vão arrepender é o convite/desafio que deixo a todos.

 

Pág. 28 de 29