Tribuna das Ilhas

 A primeira edição da Azores Trail Run – Triangle Adventure terminou ontem, na Horta, onde os atletas correram os 43 quilómetros da terceira e última etapa, o “Trail dos Vulcões”.
Nesta etapa, partiram 71 atletas do Centro de Interpretação do Vulcão dos Capelinhos, cerca das 11h30, com destino à cidade da Horta, mais concretamente ao Largo Duque D’Ávila e Bolama, onde foi montada a meta. Pelo caminho contaram-se três desistências.
Depois de 25 quilómetros percorridos na sexta-feira, no Pico, e outros 30 no sábado, em São Jorge, o principal desafio dos atletas passava por superar o cansaço acumulado nestes dois dias.
Logo à saída do Capelo, Armando Teixeira assumiu a liderança da prova, sempre seguido de perto por Kamil Leśniak. Recorde-se que o polaco tinha vencido a etapa do Pico, ao passo que a vitória em São Jorge foi para Teixeira. Com pouco mais de um minuto a separar os dois atletas no total do tempo acumulado, esperava-se uma disputa acessa até ao final. Armando Teixeira acabou por levar a melhor sobre Leśniak e foi o primeiro a cortar a meta, fazendo um tempo de 04h22m26s. O polaco chegou mais de 10 minutos depois, tendo demorado 04h35m06s a concluir o percurso. Contas feitas, estava encontrado o vencedor da Triangle Adventure: com um tempo acumulado de 09h10m53s, Armando Teixeira venceu a primeira edição desta prova. Recorde-se que o atleta da Salomon Portugal já tinha vencido a primeira edição do Azores Trail Run, em 2014.
Com um tempo acumulado de 09h24m45s, Kamil Leśniak garantiu o segundo lugar na Triangle Adventure, nesta que foi a sua primeira prova nos Açores.
O terceiro classificado na etapa faialense foi Alfonso Paredes, com um tempo de 04h49m48s; exatamente o mesmo que Miguel Silva, da Saloman Portugal, que chegou em quarto lugar na etapa mas garantiu o terceiro posto do pódio da prova, com um tempo acumulado de 09h47m01s.
Nas mulheres, destaque para a campeã nacional Lucinda Sousa, que já tinha vencido as provas do Pico e São Jorge e repetiu a vitória na Horta, com um tempo de 05h03m55s, sagrando-se vencedora da Triangle Adventure em femininos, com um tempo acumulado de 11h11m32s. Na etapa do Faial,Tuxa Negri classificou-se em segundo lugar (06h28m57s) e em terceiro ficou (06h28m58s). Também Negri garantiu o segundo lugar do pódio da Triangle Adventure, com um tempo acumulado de 13h57m23s. Em terceiro ficou Ana Duarte (14h22m44s).
Destaque para os melhores açorianos em prova, ambos atletas do Clube Independente de Atletismo Ilha Azul (CIAIA): Roberto Duarte, que se classificou na 8.ª posição da geral masculina; e Carla Pereira, em 10.º da feminina. Destaque também para a melhor equipa em prova, prémio arrecadado pela MACTeam (Andrea Mota, Carlos Pinheiro e Marco Santos).

Triangle Adventure vai ter segunda edição
O diretor de prova da Triangle Adventure fez um balanço bastante positivo do evento, destacando como chave do sucesso o apoio de todos os voluntários que trabalharam na prova ao longo dos três dias e nas três ilhas, bem como os apoios e parcerias criados para este evento. Na cerimónia de entrega de prémios, que decorreu na noite de ontem, no restaurante Barão Palace, Mário Leal reconheceu o desafio que se revelou organizar um evento desta dimensão em três ilhas diferentes, mostrando-se satisfeito com o feedback positivo que recebeu dos atletas.
Na entrega de prémios, Armando Teixeira e Lucinda Sousa, grandes vencedores da prova, receberam, para além do troféu, um convite para marcar presença na próxima edição da Triangle Adventure, o que deixa assim a certeza de que se está a cimentar, nesta zona do arquipélago, mais um grande evento internacional de trail running, para juntar ao pioneiro Azores Trail Run, que teve a sua primeira edição em 2014.
Luís Botelho, em representação da Associação de Municípios do Triângulo, destacou a visibilidade que esta prova trouxe para o “triângulo natural” formado por Faial, Pico e São Jorge, fazendo votos de que todos os atletas se tornem “embaixadores satisfeitos” do mesmo.
Já o secretário regional do Turismo e Transportes destacou o pioneirismo do CIAIA, primeira instituição nos Açores a dinamizar o trail running, salientando o grande percurso percorrido desde então. De acordo com Vítor Fraga, nos Açores existem neste momento mais de 80 trilhos, num total de cerca de 716 quilómetros.
Organizada pelo CIAIA em parceria com os Parques Naturais do Triângulo, a Triangle Adventure contou com o apoio do Governo Regional dos Açores, Associação de Municípios do Triângulo, SATA, Atlânticoline, Martipereira, Click – Saúde e Bem Estar, Conserveira Santa Catarina e Geoparque Açores.
Recorde-se que esta prova, que contou com a presença de atletas de Portugal, Alemanha, Espanha, EUA, África do Sul, França e Polónia, pontua para o Ultra Trail do Monte Branco, uma das principais provas de trail running do mundo.
Agora as atenções centram-se no próximo grande evento de trail running a preparar pelo CIAIA: a terceira edição do Azores Trail Run, que acontece já a 28 maio de 2016. Nesta prova, para além dos circuitos já realizados anteriormente (Trilho dos 10 Vulcões, com 22 quilómetros, e Faial Costa a Costa, com 48) haverá um novo ultra trail de 70 quilómetros: o Trail Ilha Azul. À semelhança do que aconteceu com a Triangle Adventure, o Azores Trail Run 2016 vai permitir pontuar para o Ultra Trail do Monte Branco. Além disso, o evento irá integrar pela primeira vez um circuito internacional de provas que se desenrolam em locais com o galardão das Mais Belas Baías do Mundo.

 

Arrancou na tarde desta sexta-feira, na ilha do Pico, a primeira etapa da Triangle Adventure, prova de trail running que percorre os trilhos das três ilhas do Triângulo este fim-de-semana.

A palavra “aventura” na designação desta prova ganhou ainda mais significado graças às condições meteorológicas bastante adversas que se fizeram sentir, que levaram ao cancelamento das ligações marítimas no Triângulo no período da manhã, o que fez com que os atletas só chegassem ao Pico ao início da tarde.

O vento e o frio obrigaram mesmo ao reajustamento do itinerário da prova no Pico, que deixou de incluir a subida à Montanha e passou a ter 25 quilómetros, ao invés de 30. A prova arrancou na Madalena, às 14h35, e teve o seu culminar na Casa da Montanha. A dificuldade do relevo, com subidas que se adivinhavam verdadeiros desafios, foi agravada pelas condições meteorológicas, com os atletas a encontrarem temperaturas na ordem dos 0 graus centígrados na meta. Ainda assim, todos os 86 inscritos terminaram no tempo regulamentar.

O primeiro a chegar à Casa da Montanha foi Kamil Leśniak, que concluiu a etapa em 02h07m50s. Leśniak é um dos mais jovens ultra runners do mundo e soma vários prémios internacionais, com destaque para duas vitórias no Ultra Trail do Monte Branco e para um segundo lugar, em 2014, no The Nort Face 100 Tailândia.

Em segundo lugar chegou Miguel Silva, da Salomon Portugal, com um tempo de 02h09m42s, e menos de um minuto depois foi a vez do seu colega de equipa, Armando Teixeira, chegar à Casa da Montanha, tendo demorado 02h10m37s. Recorde-se que Miguel Silva se classificou em terceiro lugar no ultra Faial Costa a Costa da edição de 2015 do Azores Trail Run. Já Teixeira foi o grande vencedor da mesma prova em 2014.

A campeã nacional de trail, Lucinda Sousa, foi a primeira mulher a concluir a etapa, em 02h46m34s. Seguiu-se-lhe Tuxa Negri (03h16h46) e, em terceiro lugar, a faialense Andrea Mota (03h27m06s).

A Triangle Adventure continua hoje, com a segunda etapa, o “Trail das Fajãs”, em São Jorge. A prova, que se desenrola ao longo de cerca de 30 quilómetros, tem início em São Tomé e termina na Fajã dos Cubres. Com atletas vindos de Portugal, Alemanha, Espanha, EUA, Marrocos, França e Polónia, esta prova pontua para o Ultra Trail do Monte Branco, uma das principais provas de trail running do mundo.

 

 

Benfica vence na Horta e sa

A nona jornada do Campeonato Fidelidade Andebol 1 terminou este sábado com a realização de quatro jogos.
O SL Benfica acabou por conseguir vencer na Horta, depois de um jogo muito disputado. O Sp. Horta entrou melhor no jogo, saiu na frente e o Benfica conseguiu restabelecer o empate, a meio da primeira parte; mas foi a equipa da casa que saiu para intervalo a ganhar por 16-15. No segundo tempo, o jogo manteve-se muito equilibrado durante os primeiros quinze minutos, mas o SL Benfica acabou por ser mais eficaz, passou para a frente do marcador e segurou a vantagem até ao apito final, ganhando por 25-28. O SL Benfica subiu, assim, ao segundo lugar da classificação geral, com 25 pontos.
No Flávio Sá Leite, o ABC Braga/UMinho impôs ao Sporting CP a segunda derrota no campeonato, por tangencial 34-33, resultado decidido nos segundos finais.
Na Maia, o Águas Santas Milaneza recebeu e venceu o AA Avanca. Os primeiros quinze minutos foram bastante equilibrados, mas a partir daí a equipa da casa passou definitivamente para a frente do marcador. Ao intervalo, o Avanca perdia por 18-15. O Águas Santas Milaneza manteve-se na frente do marcador durante todo o segundo tempo e já não permitiu a recuperação do AA Avanca, que perdeu por 32-25.
O ADA Maia-Ismai venceu na deslocação a Lisboa, frente ao Passos Manuel. A equipa visitante entrou melhor no jogo e adiantou-se primeiro no marcador, mas o Passos Manuel conseguiu recuperar e equilibrar o resultado, a meio da primeira parte, sem que, no entanto, tenham sido suficiente para dar a volta ao resultado e o Maia-Ismai conseguiu manter-se na frente, até ao apito final e venceu por 23-32.

lta para a vice-liderança

quinta, 29 outubro 2015 17:08

FSC assume-se como líder da Taça

No início da segunda volta da Taça da Associação de Futebol da Horta a vitória do Fayal Sport frente ao Lajense (2-0), colocou os verdes da Alagoa na frente da tabela classificativa.
O Atlético e o Cedrense jogaram na Doca e empataram sem golos. O Flamengos jogou em casa e venceu por uma bola a zero o Madalena.
Com estes resultados o Fayal Sport ascendeu ao primeiro lugar da tabela com 14 pontos e o Flamengos é segundo classificado com 13 pontos. Em terceiro lugar segue o Cedrense com 12 pontos. Madalena é quarto classificado com 3 pontos. Com a mesma igualdade pontual segue o Atlético e em sexto está o Lajense com 2 pontos.
Na próxima semana jogam Lajense contra o Atlético, o Cedrense recebe na Lajinha o Flamengos e o Madalena joga em casa com o Fayal Sport.

Já foram nomeados, por despachos hoje publicados em Jornal Oficial, os júris dos prémios de Escultura “Canto da Maia”, de Fotografia “Christiano Júnior” e de Cinema e Audiovisual “Ayres d’Aguiar”.

O júri do Prémio Canto da Maia é constituído por Duarte Melo, na qualidade de membro do Conselho Regional de Cultura, Álvaro Raposo França, na qualidade de artista plástico, e Paulo Henriques, na qualidade de crítico de arte.

Este galardão visa galardoar a cada biénio, nos anos ímpares, os artistas regionais e valorizar a atividade cultural no domínio das artes plásticas, na área da Escultura, nos géneros Arte Pública em Espaços Institucionais e Estatuária.

Luís Menezes, membro do Conselho Regional de Cultura, e os fotógrafos António Carlos da Silva Araújo e José Manuel Rodrigues constituem o júri do Prémio Christiano Júnior.

Este prémio de fotografia visa galardoar a cada biénio, nos anos ímpares, os fotógrafos regionais e valorizar a atividade cultural regional no domínio da imagem fotográfica, nas categorias de Fotografia Geral com Temática Livre, Fotografia de Paisagem Natural e Humanizada e Retrato com Fotografia de Pessoas.

O júri do Prémio Ayres d’Aguiar é composto por Manuel Bernardo Cabral, membro do Conselho Regional de Cultura, António Pedro Vasconcelos, na qualidade de realizador, e Anabela Branco Oliveira, na qualidade de critico de cinema.

Este galardão visa galardoar a cada biénio, nos anos ímpares, os cineastas regionais e valorizar a atividade cultural regional no domínio do cinema e audiovisual, nas suas várias categorias de Ficção, Documentário e Animação.

A entrega das obras concorrentes a estes prémios regionais deve ser excecionalmente feita até ao dia 30 de novembro de 2015.

Pág. 57 de 58