Tribuna das Ilhas

quarta, 19 abril 2017 14:32

O FUGITIVO – A História do Pedro Dias de Tânia Laranjo

Escrito por
Classifique este item
(0 votos)

Um documento único sobre o homem mais procurado do país durante vinte e oito dias. Em outubro de 2016 Portugal acordava com a notícia de dois homicídios em Aguiar da Beira. O suspeito dos crimes acabaria por fugir e tornar-se-ia, durante vinte e oito dias, o homem mais procurado do país.

Tânia Laranjo foi destacada, inicialmente, para cobrir a notícia dos homicídios. Acabou por ficar durante os dias da fuga, acompanhar a acção das forças policiais, descobrir casos de Justiça em que Pedro Dias esteve envolvido e que, na maioria das vezes, não chegaram à barra dos tribunais. Porquê? Em Arouca ainda se acredita na inocência do deste homem, mas em quem acreditar?

A jornalista vai para além dos dados cronológicos, situa-nos numa vila que viveu dias de medo, descreve-nos cada passo da investigação, revela-nos o estado psicológico dos jornalistas que acompanharam o caso, leva-nos ao local e aos dias do crime e da fuga e deixa-nos com a pergunta: quem é afinal Pedro Dias?

Tânia Laranjo relembra «o primeiro directo nocturno aterrador. A escuridão, a urgência dos directos, o vento gelado da serra, o medo criado pela situação. Apesar de tudo, a adrenalina que surge nestes momentos compensava, de certo modo, o desconforto».

Fique a saber onde se escondeu Pedro Dias; quem o ajudou; como conseguiu sobreviver e o outro lado, o mediático, revelou uma polícia muitas vezes descoordenada.

Tânia Laranjo é redactora principal do Correio da Manhã e da CMTV.  Começou a sua carreira no Jornal de Notícias, em 1995, mudando-se, dez anos depois, para a redacção do jornal  Público, já com a categoria de grande repórter. Em 2007, transitou para o Correio da Manhã e faz parte da equipa fundadora da CMTV. Como jornalista, sempre se dedicou a trabalhar na área da Justiça e acompanhou os mais mediáticos casos, como a investigação ao desaparecimento de Maddie, o escândalo Casa Pia, o processo Monte Branco, a Operação Furacão e a Operação Marquês.

Lido 147 vezes
Login para post comentários