Tribuna das Ilhas

A Direção da Organização do PCP da Região Autónoma dos Açores (DORAA), por proposta do Secretariado, durante a manhã de sábado procedeu à eleição de Vítor Silva como novo Coordenador Regional do PCP nos Açores.

De acordo com um comunicado enviado às redações, "esta decisão decorre, desde logo da vontade individual do até agora Coordenador, Aníbal Pires, e da deliberação da DORAA, eleita no X Congresso. A eleição do novo Coordenador foi atempada e amplamente discutida, primeiro no seio do Secretariado da DORAA tendo, posteriormente, sido colocada à discussão da DORAA que, como já foi referido elegeu hoje durante a manhã o seu novo Coordenador.

Esta eleição decorreu no estrito cumprimento das atribuições da DORAA. É à Direção da Organização da Região Autónoma dos Açores (DORAA) do PCP que compete eleger o Secretariado e o Coordenador Regional.

Aníbal Pires mantém-secomo membro da DORAA, para a qual foi eleito em Abril de 2016, no X Congresso da ORAA, e no Secretariado para o qual foi eleito pela DORAA, também durante os trabalhos do último Congresso.

 

O levantamento tridimensional dos mantos de proteção do molhe do porto comercial da Madalena, no Pico, e o levantamento hidrográfico, com sonda multifeixe, na zona do molhe e em frente ao Pesqueiro de Santana, realizados entre 22 e 24 de março, encontram-se concluídos.

As boas condições de mar que se verificaram nestes dias permitiram a realização dos trabalhos necessários à execução destes levantamentos, que darão agora origem à análise da situação atual daquele porto.

Os relatórios de análise dos levantamentos realizados devem ficar concluídos na próxima semana, após o que serão disponibilizados ao projetista para que possa realizar os estudos técnicos necessários à elaboração do projeto de execução das obras necessárias.

O projetista, entretanto, já efetuou, no local, a observação da zona afetada, estando também a desenvolver os estudos de agitação a partir dos dados recolhidos nas boias ondógrafos.

Prevê-se que o projeto de execução das obras necessárias à reparação e reabilitação do Porto da Madalena fique concluído durante o mês de abril.

No local, já foram retirados os dois blocos de grandes dimensões que tinham ficado em cima do cais, tendo já sido também executados os trabalhos de limpeza e regularização da área do Pesqueiro de Santana.

O bloco que se encontra submerso será retirado no âmbito dos trabalhos de reparação do manto de proteção do Porto da Madalena.

 

domingo, 26 março 2017 19:33

AGRAVAMENTO DO ESTADO DO MAR

A Capitania do Porto de Santa Cruz das Flores e a  Capitania do Porto da Horta alertam para o provável agravamento do estado do mar a partir do dia 27 de março, segunda-feira.

 

No Grupo Ocidental é provável a ocorrência de forte agitação marítima de oeste, agravando-se ao longo do dia, podendo a a​ltura significativa ultrapassar os 6 metros ao fim do dia 27 de março, podendo chegar aos 8 metros no dia 28.

A forte agitação marítima deverá manter-se ainda no dia 29 de março, 

 

Nas Ilhas do Triângulo a agitação marítima, de oeste e de oesnoroeste, poderá atingir ultrapassar os 6 metros de altura significativa na manhã no dia 28 de março, valor que se deve aproximar dos 8 metros na manhã do dia 29 de março.

 

A partir do da tarde do dia 29 de março espera-se uma diminuição paulatina da altura significativa.

 

Recomenda-se à comunidade marítima a adopção de medidas de precaução, verificando e se necessário reforçando a amarração, ou mesmo varando em lugar seguro as embarcações.

Aconselha-se a manutenção dum estado de vigilância.

À população em geral recomenda-se que se abstenham da prática de passeios junto à costa e da prática de actividades lúdicas nas zonas expostas à agitação marítima.

Junto à orla costeira, deverá manter-se uma atitude vigilante e ter sempre presente que nesta condições extremas o mar pode facilmente alcançar zonas aparentemente seguras.

O Bloco de Esquerda considera estranho o anúncio do fim da rota da Easy Jet entre Lisboa e os Açores, tendo em conta que em anteriores declarações dos representantes da empresa davam era sempre garantido o sucesso de vendas e o êxito comercial, e enviou um requerimento ao Governo Regional colocando, mais uma vez, questões acerca das contrapartidas assumidas pelo Estado e pela Região, que nunca foram cabalmente explicadas.

O Bloco de Esquerda lembra que, há cerca de dois anos, as obrigações de serviço público no transporte aéreo foram alteradas em função das exigências da Ryanair e da Easy Jet, e que estas exigências, que as companhias alegavam ser condição necessária para que voassem para os Açores, foram satisfeitas após acordo entre o Governo da República e o Governo Regional.

Neste sentido, o BE quer saber quantos contratos foram assumidos pela ATA – Associação de Turismo dos Açores com cada uma das companhias low-cost que voam para os Açores (Ryanair e Easy Jet), e qual o conteúdo e as verbas envolvidas em cada um destes contratos.

O requerimento do BE solicita também informações acerca das contrapartidas negociadas para a recente entrada das companhias aéreas de baixo custo na Terceira.

Os deputados do BE perguntam ainda se o Governo Regional tinha conhecimento desta decisão da Easy Jet, de abandonar a rota com os Açores, se tem conhecimento de a Ryanair poder ter uma atitude idêntica, e que medidas serão tomadas se esta situação se confirmar.

Como decidiu enveredar pela vida política?
Foi um desejo antigo de contribuir para a causa pública, defendendo a singularidade dos problemas de uma ilha pequena como a Graciosa e procurar dar a conhecer os problemas que afectam esta pequena comunidade.

Quais são os objectivos que traçou para esta legislatura?
Essencialmente contribuir para inverter o processo de desertificação humana a que a ilha Graciosa tem sido sujeita. Por outro lado entendo como essencial dar voz aos anseios dos Graciosenses, sem perder de vista uma visão mais global sobre o desenvolvimento dos Açores.

 

Pág. 10 de 58