Ainda a Semana do Mar

0
6
TI

Está a chegar ao fim a semana mais longa do ano na ilha do Faial. A Semana do Mar integra dez dias de festa que encheram e continuarão a encher até ao próximo domingo, de luz, de movimento, de aromas e de sabores a cidade da Horta.
Festejando, este ano, o 43.º aniversário, a Semana do Mar assume-se com maturidade fazendo jus às mais de quatro décadas a festejar o mar em diversas atividades náuticas, enquanto em terra se navega por outras artes. Artesa-nato, gastronomia e música fazem parte do leque de oferta dedicado a satisfazer os mais diversos gostos.
Talentos locais, desde bandas filarmónicas, folclore e chamarritas, até à incontornável Orquestra de Música Ligeira da Câmara Municipal da Horta e aos artistas nacionais, com maiores ou menores provas dadas no panorama da música portuguesa, animam a população, como já tem sido habitual.
No entanto, este ano a principal novidade centrou-se no domínio ambiental. Com uma consciência ecológica mais vincada, a Semana do Mar instaurou o Eco-Copo e retirou dos diversos cantos e recantos, e especialmente do chão, os copos de plástico alusivos a uma conhecida marca de cerveja.
Ficou mais asseada a cidade e todos nós agradecemos, registando a preocupação “Antes um copo na mão do que 1000 no chão” e dotando de um novo sentido a expressão “Andou toda a noite de copo da mão”, pois agora nada indica que seja um apreciador inconsolável de bebidas alcoólicas.
Outra novidade, já não tão amiga do ambiente, prende-se com o autocarro colocado gratuitamente ao dispor da população que deseja continuar a festa ao som de outros ritmos, realizando o trajeto entre as traseiras do palco principal e a tenda eletrónica.
Agradecem especialmente os idosos que têm mais dificuldades de locomoção, mas, como se sabe, adoram abanar o capacete pela noite fora ao som dos Dj´s e os que andaram toda a noite de copo na mão, efetivamente a brindar, e que perante esse aquecimento inicial, uma caminhada de pouco mais de 300 metros se reveste numa árdua tarefa, pois não vá a aragem à beira mar interferir no caminhar e resultar num tropeção ou simplesmente numa constipação.
Outra justificação, pois a mente é criativa, é a necessidade de poupar as pernas dos mais jovens que irão participar no “Free Running – por uma juventude ativa” promovido pela AJIFA. Tudo por uma juventude ativa! Somos solidários e o que interessa é que estejam todos felizes, pois a altura é de festa, de reencontro de amigos, de reunião de familiares e de convívio.
Para quem acha que a Semana do Mar devia ter apenas três dias e desespera pela dificuldade de acesso a casa, dificuldade de estacionamento, dificuldade em transitar na cidade, dificuldade de adormecer e dificuldade em acordar para ir trabalhar (pois nem todos estão de férias), a boa notícia é que já só faltam mais dois dias.
Como tudo na vida, não se consegue agradar a gregos e troianos, mas enquanto se vive a festa e se coloca para trás das costas outras questões que virão ao de cima após a silly season, a sugestão é que se unam as vozes para entoar a marcha da Semana do Mar “…Horta à beira mar declinada, Horta no meu peito tatuada, Horta cidade cosmopolita, tens a festa mais bonita que a todos vai encantar…Horta andarilha aventureira, Horta mulher tão hospitaleira, Horta ninfa dos velejadores, marina dos meus amores, nesta Semana do Mar…”.

O MEU COMENTÁRIO SOBRE ESTE ARTIGO