Autocarro foi retirado e polícia está a fazer perícias no local

0
23
DR

O autocarro do acidente que na quarta-feira provocou 29 mortos na Madeira foi retirado às 06:00 de hoje, estando agora o local a ser alvo de perícias policiais, disse à Lusa o presidente da Câmara de Santa Cruz.

De acordo com Filipe Sousa, “o autocarro foi retirado do local perto das 06:00 e agora [às 11:00] estão a ser desenvolvidas perícias no local pela PSP”.

A casa atingida pelo veículo tinha um habitante, que passou a noite em casa de familiares, estando agora a autarquia a acionar uma linha social, porque “a casa não tem condições de habitabilidade”.

“É uma casa antiga, em pedra, e tem de ser feita uma vistoria cuidadosa, sendo que esta situação só pode ser verificada pelo município depois de autorização das autoridades policiais e da própria companhia de seguros”, disse.

O autarca afirmou ainda que os serviços municipais vão criar barreiras de segurança ao longo da estrada onde se deu o acidente e “criar um sentido ascendente na estrada para, precisamente, garantir a segurança e permitir também a circulação de pessoas”.

Pelo menos 29 pessoas morreram no acidente com um autocarro, cerca das 18:30 de quarta-feira, que transportava turistas alemães no Caniço, em Santa Cruz, na Madeira.

Uma das vítimas morreu no hospital central do Funchal, onde deram entrada outros 27 feridos, dois dos quais portugueses.

As vítimas mortais, 11 homens e 18 mulheres, são todas alemãs, segundo a informação das autoridades regionais.

Nove dos 27 feridos do acidente já tiveram alta, permanecendo ainda no Hospital Dr. Nélio Mendonça, até às 09:00 de hoje, 18 doentes. Destes, oito estão no serviço de ortopedia, quatro na unidade de cuidados intensivos polivalentes, um nos cuidados intermédios e os restantes em observação na urgência.

Cinco feridos foram submetidos a intervenções cirúrgicas, dois de nacionalidade portuguesa e três estrangeiros.

Dos 28 feridos admitidos no hospital na quarta-feira, um – uma mulher estrangeira – morreu durante a noite nos cuidados intensivos, elevando para 29 o número de vítimas mortais do acidente.

A presidente do Conselho de Administração do Serviço Regional de Saúde da Madeira, Tomásia Alves, disse, na conferência de imprensa, que a medicina legal foi já reforçada e que as primeiras identificações deverão acontecer no sábado.

O Ministério Público já ordenou a abertura de um inquérito para apurar as causas deste acidente.

O Governo Regional da Madeira e o Governo de Portugal decretaram três dias de luto.

O MEU COMENTÁRIO SOBRE ESTE ARTIGO