Câmara da Ribeira Grande não devolve impostos à população do concelho 

0
34
DR

Os vereadores eleitos pelo PS/Açores à Câmara Municipal da Ribeira Grande manifestaram esta quinta-feira preocupação com o rumo da gestão do executivo do PSD, após a apreciação das contas relativas ao ano financeiro de 2018.

Perante o aumento da dívida de médio e longo prazo em mais de um milhão de euros e o fecho do ano com resultados líquidos de 4,3 milhões, os vereadores socialistas consideram haver uma “falta de planeamento e incapacidade de colocar estas receitas ao serviço das pessoas e das empresas do concelho”, através do investimento em diversas infraestruturas de execução prioritária.

A título de exemplo, os socialistas apontam a receita cobrada aos ribeiragrandeses que, em 2018, rondou os 8 milhões de euros, através da cobrança de serviços prestados e de impostos diretos (cobrança de água e resíduos). Por outro lado, referem a estagnação nos investimentos: “No verdadeiro investimento necessário ao presente e que dará respostas às solicitações de futuro, quer em abastecimento de águas, saneamento, estruturas de apoio às zonas balneares e rede viária”.

Para a vereação socialista, o dinheiro cobrado pela Câmara deve ser utilizado em benefício das pessoas, mas esta parece não ser nem a intenção nem a prioridade do executivo do PSD. Com um resultado líquido de 4,3 milhões de euros pagos pelos ribeiragrandenses em IMI, IRS e outros impostos diretos, no mínimo, têm o direito que a Câmara lhes devolva a totalidade da receita de IRS que arrecada, mais de 500 mil euros anuais.

“Esta foi uma proposta dos vereadores do PS no ato eleitoral das autárquicas de 2017 e que o presidente Alexandre Gaudêncio, após várias insistências do PS, continua a recusar devolver esse dinheiro à população da Ribeira Grande. Bem pelo contrário, continua com uma política de esbanjamento dos dinheiros públicos, que em nada contribuiu para a melhoria de vida atual e futura da população”, referiram os socialistas.

Nesse sentido, os vereadores socialistas consideraram que todos os ribeiragrandenses deveriam analisar estes documentos, de forma a conhecerem “onde está a ser gasto o seu dinheiro e qual o rumo que o presidente da Câmara está a dar à Ribeira Grande”.

Os vereadores do PS eleitos na Câmara Municipal da Ribeira Grande optaram por se abster na votação relativamente à execução do orçamento de 2018.

O MEU COMENTÁRIO SOBRE ESTE ARTIGO