A vida no campo (II), de Joel Neto

“Eis o que viver no campo nos traz: a paisagem ganha nome.” (pág. 129) Já velho, cansado e descrente dos homens, Alexandre Herculano (1810-1877) deixou...

O Bracinho, de Carlos Tomé (ou a memória maldita do pai)

Livro a livro, Carlos Tomé vai consolidando um projecto de escrita no âmbito da ficção narrativa. Uma ficção narrativa que assenta sempre em coordenadas...

Salpicos, ou as memórias retroactivas de Jorge Diniz

Escrevendo no melhor vernáculo, numa escrita salpicada de evocação nostálgica, Jorge Diniz acaba de dar à estampa Salpicos (edição de autor, 2019), colectânea de...

Heliodoro no Inferno (crónica para ser lida com bolinha vermelha)

Sete diabos com sete trombetas anunciaram a condenação de Heliodoro aos abismos tenebrosos do Inferno… …Labirínticos corredores ardiam nas labaredas de um fogo devorador e,...

Crónicas da Atlântida, de António Luís Campos

De que falamos nós quando falamos da Atlântida? Lenda há muitos séculos inventada, há quem (ainda) acredite na existência da Atlântida. A sua suposta...

“Entre o carro de bois e o avião”, de Armando Mendes

“Para nós, açorianos, a Geografia vale outro tanto como a História.” Vitorino Nemésio, O corsário das ilhas (Livraria Bertrand, 1956) Os Açores são muito mais do que 9...

Sobre O Século dos Prodígios, a Ciência no Portugal da Expansão,...

Vitorino Nemésio (1901-1978) que, em Portugal foi pioneiro do interdisciplinar, definia cultura como “uma perspectiva convergente e unitária de vários ramos do saber”. Está bem...

Carnaval!

O Carnaval, festa pagã por excelência, é a nossa forma de renunciar à banalidade do quotidiano e à mesquinhez da nossa...

Chega!, de Sónia Sousa ou os malefícios do bullying

Acabo de ler o livro Chega! (Alma Letra, 2018), da autoria de Sónia Sousa, actriz de corpo inteiro,...

Fake news

Longe vão os tempos em que no dia 1 de Abril os jornais pregavam uma mentira aos seus leitores, logo desmentida no dia seguinte...

EDIÇÃO IMPRESSA

Últimas