CDS/Açores propõe apoio extraordinário às ganadarias da Região

0
23

Em virtude do cancelamento das festividades na Região devido ao surto da COVID-19, que inviabilizou a realização de touradas à corda e corridas de praça, o CDS/Açores avançou com uma proposta de apoio às ganadarias por forma a minimizar os impactos financeiros negativos sofridos.

“A atividade económica dos ganaderos merece a nossa atenção devido à elevada sazonalidade que a caracteriza, uma vez que as receitas são obtidas quase única e exclusivamente entre os meses de maio e outubro, nomeadamente através das mais de duas centenas de touradas à corda que habitualmente se realizam em várias ilhas açorianas na época de verão, pese embora comporte elevados custos durante o ano inteiro”, afirmou Alonso Miguel, Vice-Presidente do Grupo Parlamentar do CDS-PP nos Açores, após ter reunido com dirigentes da Associação Regional de Criadores de Toiros de Tourada à Corda, a qual representa atualmente onze ganadarias da ilha Terceira, três de São Jorge e uma da Graciosa.

Durante a reunião, na qual também tomaram parte outros membros do CDS-PP e da Juventude Popular dos Açores, foram abordadas as principais dificuldades sentidas pelas ganadarias em função da acentuada quebra de receitas em 2020, e discutidos os termos de possíveis modalidades de apoio por parte dos poderes públicos ao sector.

Sobre esta matéria, o Grupo Parlamentar do CDS-PP apresentou recentemente um projeto de resolução na Assembleia Legislativa da Região Autónoma dos Açores, recomendando ao Governo Regional que promova a criação de mecanismos excecionais de auxílio aos ganaderos da Região durante esta fase difícil, de modo a apoiar os custos de funcionamento e de manutenção da atividade, bem como assegurar os postos de trabalhos criados por estas empresas, atenuando assim a situação crítica vivida no âmbito da pandemia da COVID-19.

Alonso Miguel salientou que “as atividades tauromáquicas geram habitualmente um impacto positivo muito significativo, quer direto quer indireto, na economia regional, especialmente na economia da ilha Terceira” e concluiu que “importa criar condições que viabilizem a sua continuidade, fazendo também jus à elevada relevância cultural das touradas nos Açores e ao contributo das ganadarias para a sustentabilidade ambiental do nosso território”.

O MEU COMENTÁRIO SOBRE ESTE ARTIGO