Desfile Semana do Mar 2011 – Parque Natural do Faial põe freguesias a puxar pela imaginação

0
37

 Como já é tradição, no último dia da Semana do Mar as ruas da cidade encheram-se para ver passar o corso, com representações das 13 freguesias do Faial. Este ano, o tema escolhido foi o Parque Natural do Faial, como forma de celebrar as conquistas que este alcançou ao longo do ano, com destaque para o prémio EDEN, que o consagrou como um dos destinos europeus de excelência.

As freguesias puseram mãos à obra e tentaram, sob variadas formas, mostrar a beleza do Parque Natural da ilha. A abrir o desfile, a freguesia das Angústias aliou a dança à natureza. Seguiu-se-lhe a Matriz, cujo carro alegórico recriava os elementos naturais da ilha, nas suas variantes de mar, terra e ar, sob o mote “Enquanto há verde há esperança”. A Conceição trouxe uma representação do mais célebre miradouro da freguesia, onde não faltou uma Nossa Senhora de carne e osso.

A Praia do Almoxarife procurou mostrar alguns dos atributos que fazem da ilha um destino EDEN, recriando o Jardim Botânico e o Centro de Interpretação dos Capelinhos, duas das principais referências do Parque Natural do Faial.

De Pedro Miguel, veio a ribeira da freguesia, hoje uma referência natural da ilha mas em tempos idos um meio de subsistência importante. Assim, marcaram presença as lavadeiras, que lavavam a roupa na ribeira, e os cabouqueiros, que daí extraiam a pedra para a construção. E do poço da ribeira recriada no carro alegórico saía água fresquinha, em “copos” feitos com folhas de roca, para “brindar” as pessoas que assistiam, divertidas com a “conversa afiada” das lavadeiras.

A Ribeirinha trouxe uma representação daquilo que será o futuro miradouro da freguesia, com vista para a área protegida de gestão de habitats ou espécies da Lomba Grande.

O Salão trouxe o São João do Cabouco à cidade, e, desde a Praça da República até ao Largo Manuel de Arriaga, nunca faltou a chamarrita, ao toque da viola, e com direito a baile, e com a entrada na roda assegurada a todos os que quisessem dar um pezinho de dança. Não faltaram também favas torradas para distribuir pela assistência.

Dos Cedros vieram as nascentes da freguesia, com água fresquinha a pingar, enquanto que a Praia do Norte recriou o trilho pedestre da Rocha da Fajã.

Também o Capelo lembrou a riqueza dos trilhos pedestres da ilha, destacando o Trilho dos Dez Vulcões e a Furna Ruim.

De Castelo Branco veio a Reserva Natural do Morro da freguesia, também ela uma referência importante do Parque Natural da ilha, onde não faltaram os tão característicos sons dos cagarros.

A Feteira trouxe uma representação da Poça da Rainha e dos Parques de Lazer da freguesia, onde não faltaram alguns dos petiscos típicos do Verão para quem quisesse provar, com o cozinheiro de serviço ao grelhador a fazer as honras da casa.

blank

blank

blank

blank

blank

blank

blank

blank

blank

blank

blank

blank

blank

blank

blank

blank

blank

blank

blank

blank

blank

blank

blank

 

blank

blank

O MEU COMENTÁRIO SOBRE ESTE ARTIGO

Por favor escreva o seu comentário!
Por favor coloque o seu nome aqui
Captcha verification failed!
Falha na pontuação do usuário captcha. Por favor, entre em contato conosco!