Ferreira destaca relevância histórica e social dos Capelinhos

0
37
blank

Na sessão que deu início às comemorações dos 65 anos do Vulcão dos Capelinhos, o
Presidente da Câmara Municipal da Horta evocou todos aqueles que residindo no Faial, nos
Açores, ou na Diáspora recordam o dia 27 de setembro de 1957.
Para o autarca faialense “a erupção do Vulcão dos Capelinhos marcou profundamente a ilha
do Faial no aspeto físico, e a população local no estado de alma”, tendo sido a raiz da
enorme vaga de emigração que se seguiu e que mudou para sempre a ilha e a Região.
Segundo o mesmo, “esta mudança estendeu-se também aos países onde se fixaram
dezenas de milhares de açorianos, sobretudo nos Estados Unidos da América e Canadá,
comunidades que contribuíram de forma relevante para o desenvolvimento desses territórios
e elevaram o nome dos Açores e de Portugal”.
A relevância histórica da erupção vulcânica dos Capelinhos foi evocada em diversas
ocasiões e formatos ao longo destas seis décadas e meia. Carlos Ferreira destacou a
edificação em agosto de 2008 do Centro de Interpretação do Vulcão dos Capelinhos, que “em 2012 foi nomeado pelo European Museum Forum, na categoria de melhor museu da Europa”.
“É essencial assegurar as condições de excelência desse espaço, para manter viva a
memória do Vulcão para os residentes, assim como para os milhares de visitantes, que
anualmente aqui se deslocam”, frisou o edil faialense.
A sessão contou com testemunhos de alguns daqueles que vivenciaram a erupção, dando o
seu contributo “na incessante procura de preservar a memória dos acontecimentos, em toda
a sua dimensão, mas sobretudo na dimensão humana”.

Paços do Concelho da Horta, 29 de setembro de 2022