Governo Regional apoia Geoparque Açores na divulgação do património geológico

0
11

A Secretária Regional da Energia, Ambiente e Turismo salientou que o Executivo açoriano apoia financeiramente as atividades do Geoparque Açores na divulgação do património geológico, incluindo no contexto das redes Europeia e Mundial de Geoparques.

 

Marta Guerreiro, que falava após uma reunião com a direção da GeoAçores – Associação Geoparque Açores, referiu que o Governo tem vindo a apoiar este projeto, que trabalha em sinergia e estreita articulação com os Parques Naturais de Ilha e com a Azorina – Sociedade de Gestão Ambiental e Conservação da Natureza para intensificar a educação ambiental para a geoconservação e para a promoção de geoturismo sustentável.

 

A titular da pasta do Ambiente frisou que “falar de um Geoparque implica assumir a importância de que se reveste esta classificação no âmbito de um património geológico singular e de relevância internacional, onde existe uma estratégia de desenvolvimento sustentável, com envolvência ativa das comunidades locais, com particular enfoque nas áreas de educação, ciência, cultura e economia”.

 

“É este o caminho que temos vindo a percorrer na nossa Região, com um Geoparque que assenta num conjunto de 121 geossítios, dispersos por todas as nove ilhas e zona marinha envolvente”, salientou.

 

O Geoparque Açores foi criado com o mote ‘9 ilhas – 1 geoparque’, aliando uma estratégia de geoconservação, com políticas de educação e sensibilização ambientais, à promoção de um desenvolvimento socioeconómico sustentável baseado no geoturismo.

 

Dos 121 geossítios identificados no arquipélago, 57 foram selecionados como prioritários para a implementação de estratégias de geoconservação e ações de valorização e de promoção turística dos Açores.

 

Vulcões, caldeiras, lagoas, campos lávicos, fumarolas, águas termais, grutas e algares vulcânicos, fajãs, escarpas de falha e depósitos fossilíferos marinhos, entre tantos outros, são elementos caraterizadores dos geossítios dos Açores e do património geológico da Região, que valorizam o destino turístico, que atualmente já detém uma notoriedade internacional de ‘Certificação pela Natureza’.

 

“De facto, a geodiversidade do nosso arquipélago potencia um conjunto vasto de experiências e emoções, apoiadas nas suas magníficas paisagens que, aliadas à flora, fauna e atividades culturais caraterísticas destas ilhas, tornam a passagem de qualquer turista pelo nosso arquipélago única e inesquecível”, frisou Marta Guerreiro.

O MEU COMENTÁRIO SOBRE ESTE ARTIGO