Inauguração Complexo do Porto Pim: Vasco Cordeiro afirma que o projeto prende-se com uma visão de futuro sustentável

0
6

Na passada quarta-feira, dia 19 de junho, foi inaugurada a última fase de intervenção na zona do Porto Pim, nomeadamente o aquário e a casa dos Dabney. Esta obra consistia na recuperação da antiga Fábrica da Baleia para a instalação de um aquário virtual. A intervenção na zona de Porto Pim teve início em julho de 2007 e a sua conclusão estava prevista para o verão do ano seguinte, todavia só se veio a realizar cinco anos depois.

O complexo de Porto Pim, recentemente inaugurado, engloba a antiga Fábrica da Baleia, a Casa dos Dabney, o aquário e o miradouro da Lira.

De acordo com o presidente do Governo Regional, presente na inauguração, este “complexo une, harmoniosamente, a memória da família Dabney, as edificações do Monte da Guia e a nossa vivência e visão do Mar”.

Esta zona é integrada no Parque Natural da ilha do Faial e tem vindo, ao longo dos últimos anos, a inserir-se numa “visão integrada e de valorização de todo o seu potencial natural e construído”, frisou Vasco Cordeiro.

Esta obra implicou a recuperação do património natural, arquitectónico e cultural, através da reconstrução de infraestruturas, a criação de espaços de informação e sensibilização, a definição de percursos pedonais para visita e acções de conservação.

“O ato simbólico de inauguração abrange, também, uma estrutura que visa dar mais um passo neste pensar arrojado que queremos imprimir ao desenvolvimento do Mar nos Açores e, em particular, na ilha do Faial”, afirmou o presidente do Executivo Regional, lembrando que, este projeto acarreta “uma visão de um futuro sustentável, pleno de inovação” e representa “um sinal de que é possível utilizar o melhor do que o nosso passado nos oferece, lançando mão de todos os nossos recursos, para inovarmos e projetarmos o futuro”.

Valências do Aquário de Porto Pim

O projeto inicial previa a instalação de um aquário totalmente virtual. No entanto, quando o edifício começou a ser recuperado e adaptado, tendo em conta as suas dimensões, bem como o espaço envolvente, nomeadamente a sua proximidade com o mar, passou a abarcar uma parte com espécies vivas. Inclui “uma colecção de organismos costeiros” e funciona como “uma estação de transferência de peixe vivo”, efetuada pela empresa local Flying Sharks.

Segundo informações disponibilizadas por Vasco Cordeiro. O aquário é composto por “seis tanques de água salgada que permite ter organismos vivos, enquanto esperam a transferência para alguns dos maiores aquários e oceanários de todo o mundo”. Para além disto poderão recuperar organismos marinhos pertencentes a espécies sensíveis. No aquário também é possível observar uma exposição, organizada pelo Observatório do Mar dos Açores, que dá a conhecer algumas das características essenciais das suas 11 áreas protegidas.

Com estas valências, o presidente do Governo Regional, explicou que está “a trilhar novos caminhos, a dar novos rumos para tornar o Mar uma prioridade consequente e que o Faial assuma uma posição central na concretização deste desígnio”.

Entraves à obra

Este projeto começou em 2007 e estava prevista a sua conclusão no verão do ano seguinte. Mas devido a alguns entraves, a inauguração só ocorreu cinco anos mais tarde.

 Em 2011, a Secretaria Regional do Ambiente e do Mar suspendeu o concurso internacional para a adjudicação do equipamento técnico e apontou como justificação a crise financeira que se vive mundialmente.

Além disto, a empresa que tinha ficado inicialmente responsável pela obra, abandonou-a devido a dificuldades financeiras. Tudo isto provocou longos atrasos.

Vasco Cordeiro anuncia investimentos para o Faial

No discurso de inauguração, Vasco Cordeiro anunciou que o Governo dos Açores “tomou uma opção muito clara que assenta na prioridade dada a investimentos em todas as ilhas, numa perspetiva de coesão territorial e social”, salientando que “o Faial assume um lugar de destaque nesta estratégia”.

“O Faial tem em curso, este ano, obras que no total, ascendem a 28 milhões de euros”, referiu, lembrando que “o Governo dos Açores está, a construir as condições necessárias ao desenvolvimento do Faial”, exemplo disso são as obras de “construção de sistemas de abastecimento de água à lavoura na zona dos Flamengos, a empreitada do centro de processamento de resíduos e do centro de valorização orgânica por compostagem, a ampliação do Hospital da Horta e a construção do Centro Comunitário do Divino Espírito Santo.”

Vasco Cordeiro anunciou a Carta das Obras Públicas, que será apresentada pelo Governo no próximo dia 28, e “prevê investimentos significativos para a ilha do Faial”. Nos próximos anos, “o Faial receberá, assim, cerca de 50 milhões de euros”.

Neste âmbito o executivo regional “pretende avançar com a beneficiação da Avenida Príncipe Alberto do Mónaco, do Entreposto Frigorífico da Horta e com a construção do Centro de Dia dos Flamengos”, afirmou. Está planeada, também, a segunda fase da requalificação da frente marítima da cidade e a construção de um novo quartel de bombeiros.

O presidente do Governo realçou, ainda, a importância da futura escola de Marítimos dos Açores, que ficará situada nas antigas instalações da Rádio Naval. Esta escola “vai permitir criar uma nova centralidade na cidade da Horta e terá como incumbência formar profissionais altamente qualificados para as profissões de vanguarda ligadas ao Mar”.

 “Trata-se, no fundo, de aproveitar as novas potencialidades que o Mar tem para oferecer aos Açorianos, ao nível do emprego e da qualificação”, concluiu.

O MEU COMENTÁRIO SOBRE ESTE ARTIGO