JSD/Açores apresenta proposta temática ao XXIV Congresso Regional do PSD/Açores

0
12

“JSD a conjugar Presente” é o mote da proposta temática que a estrutura regional de juventude social democrata vai apresentar ao XXIV Congresso Regional do PSD/Açores, que se inicia esta sexta-feira, na ilha do Pico. O documento aglomera trabalho e propostas desenvolvidas “durante alguns dos últimos mandatos”, refere o líder regional, Flávio Soares.

O documento subscrito pela JSD do arquipélago sublinha que os Açores são “uma região pobre, a mais pobre de Portugal, onde as empresas não encontram no Governo Regional um parceiro”, frisando que “a política de transportes, determinante para o sucesso de empresas insulares, não lhes dá segurança, dados os entraves que vivem e os parcos apoios de que dispõem”, exemplificam.

As pescas e a agricultura “vivem de promessas vãs, valendo-se do esforço dos seus profissionais”, refere a JSD/Açores, apontando também que os valores de sucesso escolar “são mais reduzidos e a educação, que deveria permitir crescer socialmente, é desvalorizada”, avançam.

A temática das listas de espera na saúde, “que ultrapassam todos os prazos aceitáveis”, assim como “a desigualdade gritante no acesso à saúde entre as ilhas” não são esquecidos, havendo também referências “ao desnorte no combate e prevenção das dependências, onde somos líderes pelo lado negativo”, relatam.

Para a JSD/Açores o desemprego jovem continua a ser “um flagelo social que o poder socialista não teve a capacidade de solucionar”, pois os programas ocupacionais “não trouxeram melhorias a longo prazo” na estabilidade profissional dos jovens açorianos.

“É toda uma máquina que se instalou à custa dos 36,4% de açorianos em risco de pobreza e das famílias que lutam em oportunidades de emprego precárias por um futuro para os seus filhos que estudam sem garantias de empregabilidade e por uma vivência em condições dignas”, acrescentam.

A estrutura liderada por Flávio Soares defende “um plano de apoio aos jovens agricultores e/ou empreendedores nos Açores” e uma estratégia “para cada uma das nossas ilhas, de forma diferenciada e adaptada à sua realidade”, adiantam.

“É também necessária uma profunda reflexão sobre as razões de afastamento dos jovens da política”, com a JSD/Açores a defender “a implementação do voto eletrónico para permitir que a abstenção diminua”, ou “um voto antecipado mais facilitado, pois temos muitos jovens a estudar longe do seu local de residência”, destacam.

O documento assinado pela JSD/Açores tem como grande prioridade “os interesses da juventude açoriana e a sua representatividade. Somos uma juventude partidária credível, mas também um parceiro para trabalhar em prol do desenvolvimento dos Açores. Fizemo-lo até aqui e vamos continuar a fazê-lo daqui por diante”, concluem.

O MEU COMENTÁRIO SOBRE ESTE ARTIGO