Líder da JS Açores defende que papel dos jovens deve ser construtivo e marcar positivamente a vida das pessoas

0
22

O Presidente da Juventude Socialista dos Açores defendeu uma “cultura de construção de políticas novas, onde o debate de ideias e soluções é a questão central da estratégia”. Para Vílson Ponte Gomes “não basta apenas identificar problemas, não basta – como alguns teimam em fazer – falar por falar! É preciso materializar as palavras em propostas e medidas concretas que possam marcar positivamente a vida das pessoas e, neste caso, dos jovens”.

No encerramento da primeira edição da “Academia Geração”, realizada este fim de semana na ilha Terceira, Vílson Ponte Gomes realçou: “Estivemos aqui, unidos e reunidos com o objetivo e o compromisso de contribuir para a sociedade, para a atividade política, para a formação dos jovens e para a sua participação ativa na vida e na comunidade. Estiveram aqui reunidas várias Gerações (…) pudemos lembrar as conquistas do passado e desenhar as metas do futuro”.

“Estamos convictos da nossa missão, que é resgatar para a política a capacidade de debater e traçar ideias para superar tanto os nossos desafios geracionais como os desafios intergeracionais”, assumiu o líder da juventude socialista nos Açores que propôs “a criação de um plano eficaz, que possa atrair os jovens qualificados que querem voltar para os Açores” quer através de “políticas públicas de apoio ao empreendedorismo”, quer de “apoios específicos para os próprios e para o seu agregado familiar”.

Para Vílson Ponte Gomes trata-se de uma proposta que valoriza “o seu conhecimento adquirido”, garante “a fixação” dos jovens, contribuí “para criar emprego com estabilidade e dignidade, para criar valor e riqueza para a economia regional” e, simultaneamente, promove “a melhoria da qualidade de vida dos que cá estão”.

“Queremos os Jovens Açorianos nos Açores e queremos, acima de tudo, responder ao objetivo que temos: Assegurar aos Jovens Açorianos as melhores condições para poderem construir o seu futuro, realizando-se plenamente do ponto de vista pessoal e profissional, aqui na sua terra”, acrescentou.

Vílson Ponte Gomes reconheceu o desafio de organizar esta primeira edição da Academia Geração: “Sabemos que não são fáceis os tempos que atravessamos. Pelas circunstâncias que decorrem, esta não terá sido a iniciativa mais simples que organizamos, nem a mais comum, nem tão pouco a mais descomplicada, mas gostava de lembrar a todos, que nós, Jovens Socialistas, não escolhemos os nossos desafios por serem fáceis, mas sim por serem difíceis”.

“Esta foi uma iniciativa de formação, de aprendizagem coletiva, de troca de ideias e de transmissão de conhecimento. Um grande passo para a nossa Geração e com esta Geração forte, dinâmica e inovadora, pretendemos ser uma Juventude Mobilizada e Mobilizadora que diz: Contigo vamos em frente!”, concluiu.

O MEU COMENTÁRIO SOBRE ESTE ARTIGO