Mensagem de Ano Novo de S. Exa a Presidente da ALRAA para a Região Autónoma dos Açores

0
15
DR
DR
DR

Açorianas e Açorianos,

A velocidade dos tempos modernos conduz-nos de novo ao Natal! Encontramo-nos, mais uma vez, na época do ano que exorta os valores da família, da solidariedade e da paz.

Hoje, o mar que separa os açorianos, nas nossas nove ilhas ou na diáspora, como que se abre para em comunhão celebrarmos de novo o nascimento de Jesus, guiados pela luz da Esperança.

É neste período do ano que os valores mais nobres se materializam de uma forma particularmente intensa e sentida e onde a família, seja ela ampliada ou nuclear, elementar ou complexa, assume o seu real valor, não só por arrogar o sentido da proteção e da socialização por excelência, mas acima de tudo porque é através dela, da família, que nos sintonizamos com o verdadeiro significado desta festa e aquilo que ela representa: a união, a partilha e a importância de cada um dos seus elementos, estejam eles presentes fisicamente ou, apenas, na saudade de quem os espera ou recorda.

E este sentido de pertença é tão mais importante, quanto a alteração dos comportamentos, fruto desta sociedade cada vez mais globalizada, que se reflete de uma forma muito particular ao nível social e individual, mas também na vida política e económica dos países, uma vez que estes estão cada vez mais interdependentes das estruturas mundiais e dos mercados comerciais e financeiros.

Os Açores, enquanto região do mundo, não estão imunes a estas questões!

Vivemos numa sociedade onde os novos valores transmitidos por essa globalização alteraram a forma como as pessoas se relacionam, na medida em que estas estão cada vez mais dependentes da comunicação virtual, e simultaneamente mais distantes e com menos disponibilidade para o contacto e relacionamento presencial. E não podemos ignorar que vivemos numa sociedade cada vez mais rendida ao consumismo, insensível às diferenças e às dificuldades alheias.  Daí a importância de ocorrerem contributos responsáveis, sejam eles coletivos ou individuais, no sentido de sobrelevar-se o indivíduo em detrimento de qualquer outro interesse seja ele político, económico, ou religioso, pois só assim será possível assegurar-se, de alguma forma, a sustentabilidade social, assente no respeito mútuo e na tolerância.

Todos nós temos o dever de nortear a nossa ação com respeito pela dignidade do “Outro”. Temos que olhar o “Outro” como se do “Eu” se tratasse, revestido de sentimentos, com uma história de vida, com uma família! A nossa liberdade tem de ser, assim, exercida com sentido de responsabilidade e justiça.

Nós açorianos, somos um bom exemplo que, com espírito de solidariedade, de entreajuda e com determinação, é possível ultrapassarmos os obstáculos e superar outros tantos desafios!

Nós somos orgulhosamente uma grande família de nove ilhas, cada uma com as suas próprias dificuldades, potencialidades e condicionantes e tal como acontece numa família, é imprescindível, para se manter forte e coesa, compartilhar as alegrias, ajudar nas dificuldades e ser solidário na partilha.

O novo ano simboliza a oportunidade para um novo começo. É, portanto, o momento ideal para refletirmos sobre as nossas atitudes e comportamentos e termos a coragem de mudar o que tem de ser mudado e acreditar que essa mudança, por mais pequena que seja, poderá, também ela, contribuir para o bem comum.

A todos os açorianos, de nascimento ou de “coração”, residentes nestas ilhas ou dispersos na diáspora, desejo em meu nome e em nome da Assembleia Legislativa da Região Autónoma dos Açores a continuação de boas festas e um excelente ano 2017.

A Presidente da Assembleia Legislativa da Região Autónoma dos Açores

Ana Luísa Luís

O MEU COMENTÁRIO SOBRE ESTE ARTIGO