Paulo Moniz reafirma que Subsídio Social de Mobilidade “deve ser sempre competência da República”

0
28
DR

O cabeça de lista do PSD/Açores à Assembleia da República reafirmou hoje que o partido está “frontalmente em desacordo” com a intenção do Primeiro-Ministro António Costa de “transferir para a Região a responsabilidade do pagamento do Subsídio Social de Mobilidade”.

“Esta é uma responsabilidade do Governo da República. Tem de continuar a ser o Estado a assumir a gestão do Subsídio Social de Mobilidade”, afirmou Paulo Moniz, após uma reunião com a direção da Câmara do Comércio e Indústria de Ponta Delgada.

O candidato social-democrata salientou que “os açorianos não podem continuar a ir em ‘romaria’ aos CTT para receber os reembolsos” das passagens aéreas.

“Discordamos da obrigatoriedade dos açorianos irem receber os reembolsos das passagens. Defendemos um sistema em que há um desconto imediato quando se faz a compra da passagem e não o reembolso”, explicou.

Paulo Moniz propôs um sistema de “desconto imediato” para residentes na aquisição de passagens aéreas para o continente, garantindo assim que os açorianos “paguem apenas o valor mínimo”, em vez de adiantarem centenas ou milhares de euros do “próprio bolso”.

“Propomos um sistema similar ao que existe nas Canárias. Quando o passageiro faz a reserva, o desconto definido é imediatamente aplicado. A pessoa só paga o valor mínimo da passagem aérea, em vez de adiantar uma verba muitas vezes exorbitante do próprio bolso. Este sistema já está em funcionamento com companhias ‘low-cost’”, afirmou Paulo Moniz.

O candidato do PSD/Açores lembrou que “há uma dificuldade, em particular para as famílias numerosas, de adiantar milhares de euros do próprio bolso para sair da Região”.

“É por isso que o sistema que propomos prevê à cabeça, sem necessidade de reembolso, que o desconto seja feito de uma só vez e que o encontro de contas seja feito diretamente entre as companhias aéreas e o Estado”, sublinhou.

O MEU COMENTÁRIO SOBRE ESTE ARTIGO