Programas de apoio ao emprego são fundamentais no combate à discriminação das pessoas com deficiência

0
44

O Diretor Regional da Solidariedade Social destacou hoje, em Angra do Heroísmo, os resultados positivos do programa ‘ProsApoiado’, que contribuiu, sobretudo, para a redução de estereótipos e da discriminação face a pessoas com deficiência e baixa empregabilidade.

Marco Martins falava à margem de uma sessão de apresentação dos resultados daquele programa, um dos projetos de emprego para promoção de empregabilidade de jovens, desempregados em situação de vulnerabilidade e/ou deficiência, na Associação Cristã da Mocidade (ACM), da ilha Terceira.

O projeto, salientou o Diretor Regional, resultou da união de recursos e sinergias de departamentos governamentais, nomeadamente com competência em matéria de Emprego e de Solidariedade Social, Instituições Particulares de Solidariedade Social e cooperativas, com o intuito de promover a empregabilidade de pessoas com baixa empregabilidade, em particular com deficiência.

“O seu desenvolvimento teve como objetivo principal dar continuidade ao trabalho que vai sendo desenvolvido pelas instituições e, em particular, pelas escolas ao nível do investimento que fazem nos jovens com currículos alternativos, de modo a prepará-los para a sua inserção laboral”, afirmou.

Marco Martins frisou que “não se trata de um programa específico para pessoas com deficiência, mas sim de um projeto interdepartamental de suporte a jovens desempregados à procura do primeiro emprego que recorrem aos programas existentes, tendo em vista o suporte inicial necessário para uma efetiva promoção da igualdade de oportunidades, neste caso no acesso ao trabalho”.

Nesta sessão foi efetuado o balanço do percurso iniciado em 2018, destacando as mais valias desta parceria, nomeadamente ao nível da formação, que foi garantida pela ACM e que se traduziu num “ganho de competências pessoais, sociais e laborais para os jovens, bem como para a redução de estereótipos e da discriminação face a pessoas com deficiência e baixa empregabilidade”, disse Marco Martins, que enalteceu a “colaboração e a responsabilidade social de todas as entidades parceiras que acolheram participantes”.

O MEU COMENTÁRIO SOBRE ESTE ARTIGO