Solstício de Inverno

0
14
TI

A palavra solstício vem do latim: (Sol), e sistere (que não se move). A palavra de origem latina (solstitium) está relacionada com o facto de o sol travar o seu movimento diário, de afastamento ao plano equatorial, e “estacionar” ao atingir a sua posição, mais alta ou mais baixa, no céu.
O solstício de inverno ocorre quando o Sol atinge a maior distância angular, em relação ao plano que passa pela linha do equador. Esse momento não é fixo no calendário gregoriano, em função do ano tropical da Terra não ser um múltiplo exato de dias. Solstício de inverno é um fenómeno astronómico que acontece, todos os anos, ao dia 21 ou 22 de dezembro. Em 2018, este solstício, ocorre a 21 de dezembro. Esta data marca o início do inverno, no hemisfério norte, e do verão no hemisfério sul.
Segundo o Observatório Astro-nómico de Lisboa solstícios são “pontos da eclíptica em que o sol atinge as alturas (distância angular) máxima e mínima em relação ao equador, isto é, pontos em que a declinação solar atinge extremos: máxima no solstício de Verão (+23° 26′) e mínima no solstício de Inverno (-23° 26′)”. No dia em que o hemisfério norte entra no verão, é possível observar que o sol está muito alto no céu.
Os solstícios e equinócios marcam posições do movimento aparente do sol e a incidência de raios solares na superfície terrestre, além de inaugurarem as estações do ano. A inclinação do eixo de rotação da Terra, aliada ao seu movimento de translação, interfere na quantidade de incidência de raios solares recebidos, na superfície terrestre. Como resultado, têm-se a existência das estações do ano e uma diferença na duração dos dias e das noites, ao longo do ano. No céu, verificamos um movimento aparente do Sol. Nesse movimento, podemos visualizar duas situações: a posição do Sol no horizonte e o trajeto dele ao longo do céu. Se observarmos, atentamente, a posição do Sol durante o ano, verificaremos que, em determinadas épocas, ele ficará mais “ao sul”, e em outras mais “ao norte”. Aparentemente, durante o ano, o Sol faz um movimento de Sudeste a Noroeste, no horizonte terrestre. Mas, na verdade, é somente a forma como a Terra recebe os raios solares. Graças a essa inclinação, do eixo de rotação, e a posição da Terra, em relação ao sol, a incidência de raios solares nos hemisférios Norte e Sul é diferente. Em determinado momento, um hemisfério estará mais voltado para Sol, e seis meses depois será o outro hemisfério. O auge dessas posições é chamado de Solstício (do latim solstitium, Sol parado). Nesse movimento aparente do sol no horizonte, o Solstício é o limite máximo alcançado por ele, seja mais ao Norte ou ao Sul. A impressão é de que a posição do sol se estabilizou.
Diferença entre um solstício e um equinócio – os ‘irmãos’ dos solstícios são os equinócios, que, por sua vez, marcam a chegada do outono e da primavera. A diferença básica, entre os eventos, também diz respeito ao eixo de inclinação da Terra e a incidência dos raios solares, já que os equinócios correspondem aos dias do ano em que, os dois hemisférios, recebem a mesma quantidade de luz solar, o que explica termos como o “meia estação” utilizados para designar estes dois períodos do ano.
O Solstício de Inverno ocorrerá no dia 21 de dezembro de 2018 às 22h23min, marcando o início da estação no hemisfério norte (a mais fria apesar da Terra vir a estar o mais perto do sol a 3 de janeiro). A duração do dia no Solstício de Inverno é, efetivamente, a mais curta. A 21 de dezembro de 2018 o disco solar nascerá às 07:51:04 horas e pôr-se-á às 17:18:07 horas (horas de Lisboa). A duração do dia será de 09:27:03 horas, o que é apenas 1 segundo a menos, do que no dia seguinte. Os amantes do frio podem comemorar, afinal o inverno chegou e prolonga-se por 88 dias, até ao próximo Equinócio, a 20 de março de 2019.
O inverno é época de hibernação, tempo de meditação e de celebrações, na louca sucessão das estações, o tempo voa agora nas asas de um vento gelado gostaria de enviar a todos votos de bom Natal, com o calor da família e do lar, e que 2019 vos traga tudo o que mais desejam. Há um novo ano de possibilidades à vossa (nossa) espera!

O MEU COMENTÁRIO SOBRE ESTE ARTIGO