Tendinopatia do tendão de Aquiles (o que os corredores necessitam de saber) – Parte I

0
61
blank

O tendão de Aquiles é uma estrutura impressionante que se origina no músculo solear (que é o grande motor na corrida de distância) e se junta às duas barrigas dos gastrocnémios (gémeos) antes de se inserir no calcâneo ou osso do calcanhar. Este tendão transmite força destes músculos ao pé e tornozelo. Felizmente o tendão de Aquiles é o maior e mais forte tendão que temos no corpo humano e consegue suportar cerca de 12x o peso do corpo durante a corrida. Dadas as exigências colocadas ao tendão de Aquiles, não é de admirar que este seja fonte de queixas frequentes por parte dos corredores. Esta situação normalmente manifesta-se como uma tendinopatia que é basicamente o nome que se dá quando o tendão é fonte de dor e disfunção independentemente do problema. Embora esta situação seja mais frequente de ocorrer em atletas de meia-idade do sexo masculino, esta pode aparecer em qualquer atleta independentemente da idade, sexo ou nível de treino. Nos atletas com tendinopatia do Aquiles é esperado voltarem ao desporto entre 6 semanas a 1 ano após o início das queixas e podem até continuar com queixas ligeiras durante anos. Assim é de grande importância abordar esta situação e não apenas “esperar que passe”.

Este conteúdo é Exclusivo para Assinantes

Por favor Entre para Desbloquear os conteúdos Premium ou Faça a Sua Assinatura

Márcio Alberto
Fisioterapeuta e Osteopata
Click Saúde & Bem-Estar