Artistas açorianos representam Portugal no World Bodypainting Festival

0
28
DR

É o maior e mais importante festival de pinturas corporais do mundo e acontece anualmente na Áustria. World Bodypainting Festival tem a participação de artistas de mais de 50 nações e Portugal está presente com a equipa da MiratecArts.

Depois de ter conseguido o lugar #15 em Pintura e #3 em Fotografia Corporal, com os artistas Vitor Oliveira e Pedro Silva, o diretor artístico da MiratecArts leva de novo a equipa para uma segunda participação, que acontece de 11 a 13 de julho na cidade de Klagenfurt, Áustria. “No ano passado não sabíamos o que estava à nossa espera” admite Terry Costa. “Depois da grande experiência e de ainda ter recebido elogios do júri internacional e classificações top, decidimos que fazia sentido voltar este ano, para uma segunda ronda.”

O trio de artistas açorianos segue, assim, rumo ao evento mais colorido no mundo com as expetativas de “adquirir conhecimentos de várias culturas neste meio, conhecer artistas de vários países e aprender sobre produtos” diz Vitor Oliveira que este ano vai construir uma obra alusiva ao “galactic zoo”, o tema do festival. Pedro Silva tem o objetivo de conseguir o maior número de imagens únicas e captar a experiência da participação portuguesa neste grande evento, reconhecido por todo o planeta. A oportunidade para Terry Costa também é uma forma de promover os programas da MiratecArts para mais de 300 equipas de artistas, em especial o CORPO Body Artfest que teve o seu arranque na ilha do Pico, durante o Azores Fringe Festival, no passado mês de junho.

Vitor Oliveira colabora com MiratecArts há vários anos, incluindo Azores Fringe e AnimaPIX, liderando workshops de pinturas faciais e criando grandes obras de pinturas corporais que já foram cartazes e capas de revista. Pedro Silva colabora desde o primeiro Azores Fringe e já recebeu prémio de Melhor Fotografia Montanha e ainda o Prémio Estrela MiratecArts pelo empenho e dedicação voluntária à associação cultural artística.

O MEU COMENTÁRIO SOBRE ESTE ARTIGO