Autoridade de Saúde Regional – Açores regista 13 novos casos de COVID-19, sendo todos em S. Miguel

0
24
DR
DR

Nas últimas 24 horas foram diagnosticados treze novos casos de COVID-19 nos Açores, todos na ilha de São Miguel: 12 em contexto de transmissão comunitária e um referente a um viajante, casos resultantes de 1.672 análises realizadas nos laboratórios de referência da Região, e uma em laboratório privado, não convencionado.

Assim, o concelho do Nordeste regista hoje mais três novos casos, todos na Achadinha. No concelho da Ribeira Grande há um novo caso na Lomba de São Pedro e em Ponta Delgada são nove os novos casos (dois na Covoada, dois em São Roque, dois na Fajã de Baixo, um em São Sebastião, um em São Vicente Ferreira e um na Relva, este referente a um viajante residente nesta freguesia que obteve resultado positivo à chegada).

Também nas últimas 24 horas foram registadas 18 recuperações em São Miguel, sendo três no concelho da Ribeira Grande, todas no Pico da Pedra, e 15 no concelho de Ponta Delgada (sete em São Pedro, três nos Arrifes, uma em São Sebastião, uma na Ajuda da Bretanha, uma na Relva, uma em Santa Clara e uma em São Roque).

Estão agora internados 13 doentes, todos no Hospital do Divino Espírito Santo, em Ponta Delgada, cinco dos quais permanecem em Unidade de Cuidados Intensivos.

A Região regista hoje 129 casos positivos ativos, sendo 128 em São Miguel (104 no concelho de Ponta Delgada, oito no concelho da Ribeira Grande, sete no concelho da Lagoa, quatro no concelho do Nordeste, três em Vila Franca do Campo e dois no concelho da Povoação) e um na Terceira, na freguesia da Feteira, do concelho de Angra do Heroísmo.  O número de vigilâncias ativas é presentemente de 894.

Na ilha de São Miguel estão em nível de Muito Baixo Risco os concelhos da Lagoa, Nordeste e Povoação; em Baixo Risco estão os concelhos de Ribeira Grande e Vila Franca do Campo, e em Médio Alto Risco encontra-se concelho de Ponta Delgada. Todos os concelhos das restantes ilhas do arquipélago apresentam níveis de Muito Baixo Risco, mantendo-se as medidas previstas para este nível de risco. Mais informações sobre as medidas em vigor podem ser obtidas online em: https://covid19.azores.gov.pt/  e na página Facebook da Direção Regional da Saúde: https://www.facebook.com/DirecaoSaudeAcores .

Desde o início da pandemia foram diagnosticados 4.171 casos positivos de covid-19 nos Açores, tendo recuperado da doença 3.904 pessoas. Faleceram 30, saíram do arquipélago 67 e 41 apresentaram prova de cura anterior. Foram extintas 199 cadeias de transmissão local.

Até à data de hoje, realizaram-se nos Açores 389.334 análises para despiste da covid-19. Desde 31 de dezembro passado e até 25 de março, 43.812 pessoas com 15 ou mais anos foram vacinadas no Arquipélago (28.376 com a primeira dose e 15.436 com a segunda dose), no âmbito da 1ª fase do Plano Regional de Vacinação. Mais informação em: https://vacinacao-covid19.azores.gov.pt.

As medidas de prevenção e contenção da pandemia devem ser mantidas e reforçadas, sempre que possível, por cidadãos e organizações públicas, privadas e do setor social.

É reiterada a necessidade de serem cumpridas todas as recomendações já tornadas públicas a este propósito, em especial a de, em caso de sintomas, não procurar um Hospital ou Unidade de Saúde, mas ligar para a Linha de Saúde Açores – 808 24 60 24.

Para mais informação deve ser consultado o site criado pelo Governo dos Açores sobre o controlo da pandemia na Região, em https://destinoseguro.azores.gov.pt/, ou a página de Facebook da Direção Regional da Saúde, em https://www.facebook.com/DirecaoSaudeAcores/.

O Governo dos Açores disponibiliza ainda a Linha Açores de Esclarecimento Não Médico COVID-19, com o número 800 29 29 29, que pode ser utilizada entre as 08h30 e as 18h30, nos dias úteis, e a Linha RIAC 800 500 501, que funciona de segunda-feira a sábado, das 09h00 às 22h30, e aos domingos, das 10h00 às 22h30.

Está disponível também o endereço de correio eletrónico [email protected] para esclarecimentos sobre as medidas adotadas na Região para fazer face à pandemia do novo coronavírus.

O MEU COMENTÁRIO SOBRE ESTE ARTIGO