BE: “A ANA tem que assumir a responsabilidade de aumentar a pista da Horta”

0
49
blank

O Bloco de Esquerda defende que o aumento da pista do aeroporto da Horta é fundamental e que o investimento tem que ser feito pela ANA/Vinci, a empresa “que lucra milhões com a gestão dos aeroportos nacionais”. A candidata do Bloco à Assembleia da República pelos
Açores defende também a reposição da compensação à SATA pelo cumprimento das
obrigações de serviço público nas ligações com o continente. Jessica Pacheco salienta que o
Bloco é o único partido a colocar estes assuntos no seu programa eleitoral nacional.

Agora que já são conhecidos os programas eleitorais nacionais de todos os partidos, confirma-se que nem o PS nem o PSD escreveram sequer “uma única linha sobre estas matérias”, assinalou hoje Jessica Pacheco, após uma reunião com o presidente da Câmara Municipal da Horta.

A inclusão destas propostas no programa eleitoral nacional compromete todos os deputados que sejam eleitos pelo Bloco de Esquerda a defender estas medidas, explicou Jessica Pacheco.

Quanto à pista do aeroporto da Horta, a candidata do Bloco alerta que a atual dimensão
“coloca em causa a segurança dos passageiros, provoca desgaste nas aeronaves e condiciona a capacidade de carga transportada”, e que é fundamental, por isso, assegurar a concretização deste investimento, mas “não podem ser os contribuintes açorianos a pagar algo que vai beneficiar sobretudo a empresa privada que gere os aeroportos nacionais”.

Por isso, o Bloco de Esquerda exige que a empresa “assuma a responsabilidade de aumentar a pista do aeroporto da Horta”.

Quanto às obrigações de serviço público nas rotas de Horta, Pico e Santa Maria para o
continente, a candidata lembra que foi o Governo da República do PSD e do CDS, com o apoio do Governo Regional do PS, que, em 2015, decidiram “acabar com as compensações à SATA”, uma decisão que “trouxe enormes custos aos açorianos”.

“É fundamental que seja a República a garantir esta compensação” pela prestação deste
serviço público que a SATA presta.

Jessica Pacheco considera que uma “maioria absoluta do PS” não resolve estes problemas e
que “dos partidos de direita também não há esta responsabilidade”.