BE quer “aumentar votos” e “se possível” o número de deputados

0
17

O BE/Açores disse hoje que tem como objetivo para as próximas eleições regionais, a que concorre em todos os círculos eleitorais, aumentar o número de votos e de deputados na Assembleia Regional, “se isso for possível”.

“O nosso objetivo é crescer. Crescer pode passar por aumentar votos, aumentar percentagens, aumentar o número de deputados se isso for possível. Esta contabilidade está nas mãos dos açorianos”, declarou António Lima.

O coordenador bloquista falava hoje à saída do Tribunal de Ponta Delgada, onde entregou as listas de candidatos às eleições legislativas regionais de 25 de outubro pelos círculos eleitorais de São Miguel e da Compensação.

O partido candidata António Lima pelos círculos de São Miguel e compensação, Pedro Amaral por Santa Maria, Alexandra Manes pela Terceira, José Carreira pelo Pico, Aurora Ribeiro pelo Faial, Paulo Fontes por São Jorge, Humberta Araújo pela Graciosa, Maria Tenente pelas Flores e Maria José Pereira pelo Corvo.

O coordenador do BE no arquipélago destacou os “mais de 80 candidatos” do partido às próximas eleições, realçando a “paridade quase perfeita” nos membros das listas.

“Estamos aqui nestas eleições com o objetivo fundamental de apresentar novas políticas, novas ideias, para construir uma região onde é melhor viver e que tenha um futuro melhor”, afirmou.

Como propostas do partido, António Lima destacou o reforço dos “serviços públicos”, o “combate às listas de espera” no Serviço Regional de Saúde e o “combate aos problemas da economia” para garantir que os “jovens açorianos consigam ter um futuro melhor”.

O candidato assinalou que a intenção de criar uma universidade do Atlântico nos Açores, presente no plano de recuperação económica de Portugal 2020-2030 de António Costa Silva, é uma “ideia que o Bloco de Esquerda apresenta há 16 anos” sem “nunca” ter sido “levada a sério”.

“Esta é a demonstração que o BE tem ideias consistentes, tem ideias exequíveis e ideias que acima de tudo têm ambição para mudar os Açores. Esse é o nosso grande objetivo“, afirmou António Lima.

O também deputado do BE na Assembleia Regional destacou que o PS “nada” disse sobre a intenção de se criar uma universidade do atlântico na região.

“O PS e o seu presidente Vasco Cordeiro digam o que é que pensam dessa proposta do governo da república, feito no plano de recuperação de António Costa Silva”, afirmou.

As próximas eleições para o parlamento açoriano decorrem em 25 de outubro.

Nas anteriores legislativas açorianas, em 2016, o PS venceu com 46,4% dos votos, o que se traduziu em 30 mandatos no parlamento regional, contra 30,89% do segundo partido mais votado, o PSD, com 19 mandatos, e 7,1% do CDS-PP (quatro mandatos).

O BE, com 3,6%, obteve dois mandatos, a coligação PCP/PEV, com 2,6%, um, e o PPM, com 0,93% dos votos expressos, também um.

Nas eleições regionais açorianas existem nove círculos eleitorais, um por cada ilha, mais um círculo regional de compensação que reúne os votos que não foram aproveitados para a eleição de parlamentares nos círculos de ilha.

O PS governa a região há 24 anos, tendo sido antecedido pelo PSD, que liderou o executivo regional entre 1976 e 1996.

 

O MEU COMENTÁRIO SOBRE ESTE ARTIGO