BE quer mais vagas e rede pública gratuita de creches e jardins de infância

0
13

A coordenadora do BE, Catarina Martins, defendeu hoje que, para além de mais vagas nas creches e jardins de infância, é preciso uma rede pública de acesso gratuito, integrada na Educação e não na Segurança Social.Catarina Martins visitou hoje, com o vereador do BE na Câmara de Lisboa, a creche do Centro Paroquial de Bem-Estar Social de Alfama, na qual apresentou propostas do programa eleitoral do partido às legislativas nesta área.
“O Bloco de Esquerda propõe duas coisas: aumentar as vagas em jardim de infância e em creche. Fazer esse investimento claro para que haja vagas e generalização do acesso às creches e jardins de infância em todo o país, mas garantir que há rede pública”, explicou.
Para garantir que há rede pública, prosseguiu a líder bloquista, “a oferta de creches tem de passar a esta integrada na Educação e não na Segurança Social como está até agora”.
“Até agora, a oferta de creches dos zero aos três anos é pensada como um apoio à famílias que é pago de acordo com o rendimento das famílias, não é pensado como um direito da criança a esse momento importante de socialização”, detalhou.
Na perspetiva de Catarina Martins é preciso que “toda a gente tenha acesso à creche e ao jardim de infância” e para isso é necessário que “seja da rede pública da educação, para garantir a gratuitidade”.
Questionada sobre o anúncio do primeiro-ministro, António Costa, que na quinta-feira afirmou que, nas próximas semanas, o Governo vai lançar um programa para criar mais sete mil vagas em creches, a líder bloquista assumiu ser “bom estarmos todos de acordo que é preciso aumentar as vagas de oferta das creches e jardins de infância”.
“Mas eu repito: é preciso garantir que toda a gente tem acesso. Para lá de aumentar o número de vagas, é preciso mudar o paradigma, garantir que o acesso é gratuito, como garantimos que é a partir do primeiro ciclo, temos que garantir que é a partir da creche”, reiterou.

O MEU COMENTÁRIO SOBRE ESTE ARTIGO