Câmara Municipal da Horta associa-se às comemorações dos 350 anos do Vulcão do Cabeço do Fogo

0
182
blank

O Município da Horta e a Junta de Freguesia da Praia do Norte assinalaram ontem, dia 23 de abril, a passagem dos 350 anos da erupção do Vulcão da Praia do Norte, que originou o Cabeço do Fogo.

Na cerimónia solene que decorreu no Polivalente da Casa do Povo da Praia do Norte, o
Presidente da Câmara Municipal da Horta começou por destacar a importância da freguesia da Praia do Norte “uma terra pequena em território, mas que tem gente com uma alma e garra enormes”, lembrando que é “com esse espírito e com essa atitude que se tem construído uma freguesia alicerçada numa história digna de ser preservada, relembrada e valorizada”.

Congratulando a Junta de Freguesia da Praia do Norte “por ter decidido assinalar os 350 anos da erupção do Cabeço do Fogo, evento ao qual o Município se associou”, Carlos Ferreira fez questão de recordar todos os norte praienses que tiveram de emigrar após a catástrofe.

“Em 1675, cerca de 100 casais rumavam ao Maranhão, no Brasil, na esperança de uma nova vida e eu próprio pude testemunhar o apreço, o carinho e o respeito que o povo brasileiro tem pelos portugueses, designadamente pelos primeiros açorianos que povoaram Santa Catarina e o Rio Grande do Sul”, revelou aos presentes, numa cerimónia que contou com a palestra “Chega-se à crença pelo sofrimento – O Vulcão de 1672 e o Voto Municipal”, proferida pelo Professor Doutor Carlos Lobão.

O programa alusivo à efeméride prosseguiu hoje com uma procissão desde o Império até à Igreja de Nossa Senhora das Dores, onde foi celebrada a Missa Solene evocativa dos 350 anos do Vulcão, e culminou com a coroação do Presidente do Município e da autarca local, tendo sido posteriormente descerrado, por Carlos Ferreira, um painel alusivo à data no Império da Praia do Norte.

Até ao final do mês de setembro continuarão a decorrer ações inseridas nas comemorações dos 350 anos do Vulcão do Cabeço do Fogo, por forma a dignificar este momento de grande significado e importância histórica para a ilha do Faial e para os Açores.