Centralidade da Horta evidenciada em livro sobre a 1.ª Travessia Aérea do Atlântico

0
99
blank

O amarar do hidroavião NC-4 da U.S. Navy na baía da Horta, a 17 de maio de 1919, constitui um marco histórico para o Faial e para a aviação mundial.

“Este feito abriu horizontes para a aviação moderna e para o reforço da referenciação da cidade da Horta no plano internacional, transformando-se, desde o século XVIII, no Porto mais importante desta zona do Atlântico”, afirmou o Presidente da Câmara Municipal da Horta na apresentação do livro do Professor Doutor Ricardo Manuel Madruga da Costa, “A Cidade da Horta e o Centenário da 1.ª Travessia Aérea do Atlântico pelo NC-4 da U.S. Navy”.

Agradecendo todo o trabalho desenvolvido pelo autor, Carlos Ferreira realçou que o Faial passa a contar com mais um registo histórico de relevante importância para a investigação e para o ensino da história do concelho e da Região.

“Em boa hora o Município decidiu proceder à edição desta obra, que regista uma das mais importantes etapas da 1.ª Travessia Aérea do Atlântico e da história da aviação, na qual a cidade da Horta e a ilha do Faial, pela sua centralidade, se revelaram fundamentais no apoio logístico às viagens no Atlântico Norte”.

Tendo como exemplo a 1.ª Travessia Aérea do Atlântico e o célebre episódio de Neil Armstrong, quando pisou a superfície lunar em 1969, o autarca revelou que “o progresso é, efetivamente, concretizado através de pequenos passos que se revelam saltos gigantescos para o ser humano e para a sociedade moderna”, concluiu.

Na apresentação do livro, que decorreu na emblemática sala do Museu da Horta, foi destacada a relevância desta temática para os faialenses, tendo o Doutor Madruga da Costa considerado que “é necessário dar a devida importância a este feito notável”.