CMH – Mais uma edição do projeto Autarca por um Dia

0
14
DR/CMH

Foram oito os pontos da ordem de trabalhos discutidos pelos/as representantes das turmas do sétimo ano escolaridade da Escola Secundária Manuel de Arriaga com o Sr. Presidente da Câmara, numa reunião de câmara, que ocorreu, na passada quinta-feira, no Salão Nobre da Câmara Municipal.

Uma reunião diferente, em que os/as alunos/as foram autarcas por um dia, desempenhando a função de vereadores/as tendo, assim, a oportunidade de vivenciar, na primeira pessoa, esta função tão importante da vida autárquica local.

“O projeto autarca por um dia é um verdadeiro instrumento de educação para a política e de promoção da cidadania ativa no nosso concelho. É cada vez mais importante que os nossos jovens tenham acesso a este tipo de informação pública e política e a este tipo de experiências, convivendo, de perto, com a realidade do poder local, pois, assim, estamos a incentivar e a formar jovens conhecedores do meio e comunidade em que estão inseridos”, afirmou José Leonardo Silva, Presidente da Câmara Municipal da Horta que agradeceu ainda a disponibilidade e empenho dos docentes que tornaram este projeto possível “só com o empenho de todos conseguimos concretizar estes projetos e, assim, contribuir para uma sociedade mais conhecedora do que a rodeia”.

As propostas apresentadas foram, numa primeira fase, discutidas, juntamente com outras, em cada uma das turmas,  e, posteriormente, a mais votada foi incluída na ordem de trabalhos para a Reunião de Câmara.

Em cima da mesa estiveram temas tão diversos como a cultura e tradições, o bem-estar animal, o ambiente, agricultura biológica e, ainda, a ocupação dos tempos livres e espaços de lazer.

No final da sessão, os/as alunos/as mostravam-se satisfeitos pelo momento vivenciado, “ foi uma experiência que, desde o princípio, se revelou muito interessante. Tivemos oportunidade de ver como funciona a Câmara Municipal e como são tratados os assuntos. A nível pessoal, também foi enriquecedor, porque me permitiu libertar no que diz respeito ao falar em público”, afirmou Diogo Sá da Bandeira.

A coordenadora deste projeto na Escola Secundária Manuel Arriaga, a professora Elsa Pereira, também destacou este mecanismo de participação cívica ativa e jovem como fundamental para as aprendizagens “Foi muito fácil pôr os jovens a pensar e a apresentarem propostas que gostariam de ver implementadas no seu concelho, aliás, nenhuma das propostas trazidas a debate foi sugerida pelos professores, foram única e exclusivamente da responsabilidade destes jovens do sétimo ano e isso é algo que não se aprende nos livros, mas sim com a experiência que agora lhe foi proporcionada.”

O MEU COMENTÁRIO SOBRE ESTE ARTIGO