Corrida às bombas já começou em alguns postos. Portugueses receiam escassez de combustível devido à greve

0
13
DR

“A manter-se o atual estado das coisas é evidente que vai acontecer uma rutura de stocks em vários pontos”, alertam os revendedores de combustíveis. Em alguns postos, já se verifica uma corrida às bombas devido à greve dos motoristas de combustíveis.

Em alguns postos de abastecimento de combustível já se está a verificar uma corrida às bombas. Os portugueses receiam uma escassez de combustível devido à greve do Sindicato Nacional de Motoristas de Matérias Perigosas (SNMMP).

A Associação Nacional de Revendedores de Combustíveis (Anarec) que conta com cerca de dois mil associados em todo o país revela que já existem alguns postos com maior procura face ao habitual.

“Há relatos em que nalgumas zonas, não é generalizado, começa a haver um maior fluxo em termos de abastecimento. Pelas 10 horas de hoje, há relatos que três postos de abastecimento, de associados nossos, estão a sofrer maior fluxo de filas para abastecimento”, revelou o presidente da Anarec Francisco Albuquerque ao Jornal Económico esta terça-feira, 16 de abril.

Os três postos ficam localizados: um em Portimão, outro em Lisboa e outro em Setúbal, segundo a Anarec.

Francisco Albuquerque associa este aumento de fluxo à greve que decorre dos motoristas de transportes perigosos e pelo “receio das pessoas” com uma eventual escassez de combustível. Em Portugal existem cerca de 3.000 postos de combustível.

“As pessoas começaram a abastecer mais do que os habituais 20 euros. São indícios. Começa a haver maior fluxo porque as pessoas começam a ficar preocupadas que possa haver falhas, haver quebras”, afirmou.

Sobre a eventual rutura de stock de combustíveis nos postos de abastecimento, a Anarec que já tem “alguns relatos no sentido que há alguns abastecimentos que estavam previstos, mas que não foram efetuados”.

“Embora não haja rutura de stock ainda, como as reservas começam a estar em baixo, a previsão é que, com o decurso do tempo, a rutura do stock seja efetiva”, alertou o líder da Anarec.

Uma rutura de abastecimento “depende da capacidade dos reservatórios, depende também do volume de vendas de cada posto. A manter-se o atual estado das coisas, esta situação se vai agravar gradualmente”.

Pode haver rutura nos próximos dias? “Penso que sim a manter-se o atual estado das coisas é evidente que vai acontecer uma rutura de stocks em vários pontos. Não estou a dizer que vai ser em termos gerais, porque os postos não são abastecidos diariamente, pois há uns que são abastecidos semanalmente”.

O MEU COMENTÁRIO SOBRE ESTE ARTIGO