Covid-19 – JSD Açores indignada com resposta insuficiente aos estudantes deslocados

0
22
DR

O presidente da JSD/Açores, Flávio Soares, considerou insuficientes as soluções apresentadas pelo Governo Regional para os estudantes açorianos deslocados no continente, por via da pandemia de Covid-19.

“Numa altura em que continuam a chegar não residentes à Região, tendo até já sido registado um caso de pessoa infetada a viajar para Ponta Delgada, há estudantes açorianos que ainda não conseguiram regressar a casa”, criticou o jovem social democrata.

O dirigente recordou o anúncio feito pelo primeiro-ministro de que apenas os alunos do 11.º e do 12.º ano poderão eventualmente voltar a ter aulas presenciais em maio, e que alguns estabelecimentos de ensino já anunciaram o fim presencial das aulas para este ano letivo.

“Como é que, em circunstâncias de elevada exigência, o Governo Regional pede aos açorianos para ficarem no continente? E como é que só admite voltar a reavaliar a situação a 30 de abril?”, questionou.

“Os estudantes apenas teriam que viajar para uma das ilhas com voos de ligação ao continente e, posteriormente, os das restantes ilhas, seriam reencaminhados, em regime de exceção, pela SATA Air Açores, que é a companhia aérea do Governo Regional e de todos os açorianos”, sugere Flávio Soares.

“O Governo Regional diz garantir unidades hoteleiras a quem chega a São Miguel e à Terceira para a realização da quarentena – a garantia só tinha que se repercutir nas restantes ilhas!, pelo que, “em qualquer um dos casos, respeitariam o período de quarentena nas ilhas de origem, sendo posteriormente submetidos a testes de despiste de Covi-19”, propôs o líder da JSD açoriana.

“O mesmo aconteceria com os alunos açorianos que se encontram a estudar na Universidade dos Açores”, explicou, frisando que “aqueles que são das ilhas sem polos da Universidade seriam, também no mesmo regime de exceção, reencaminhados para as sua terra de origem”.

“O Governo Regional deve garantir a equidade entre todos os açorianos. Não pode haver tratamento diferenciado dentro da Região”, realçou Flávio Soares.

Recorde-se que um grupo de jovens estudantes açorianos deslocados já fez chegar uma carta ao Governo Regional a pedir agilidade e celeridade na resolução do problema, mas não obteve a resposta pretendida.

“Na altura em que o Governo lhes pediu para ficarem onde estavam, os nossos estudantes ouviram e cumpriram. Agora que eles lhes pedem para voltar, o Governo não os ouve”, lamentou o jovem social democrata.

Flávio Soares conclui, referindo que “foi disponibilizado apoio financeiro aos estudantes que pretendem ficar no continente, mas o Governo não menciona a materialização do apoio; como e quando será feito; nem se terá em conta o tempo decorrido desde a primeira vez que pediram aos nossos estudantes para se manterem no continente”.

“Há muitas perguntas que carecem de resposta”, acrescenta.

O MEU COMENTÁRIO SOBRE ESTE ARTIGO