Covid-19: Queima das Fitas de Évora adiada para outubro

0
12
DR
A edição deste ano da Queima das Fitas de Évora, que estava prevista para o final de maio, foi adiada para outubro, se já existirem condições de segurança, devido à pandemia da covid-19, foi hoje divulgado.

Organizada pela Associação Académica da Universidade de Évora (AAUE), a festa dos estudantes da cidade alentejana realiza-se habitualmente, no final de maio, no campo de futebol do Colégio do Espírito Santo, o principal edifício da academia.

Em comunicado, a AAUE informou que o evento foi “adiado para outubro”, considerando “a evolução da covid-19”, mas sem especificar uma data concreta.

A queima só irá realizar-se nessa altura “caso se verifiquem todas as condições de segurança”, lê-se na nota.

“Estarmos parados não é algo habitual ao nosso quotidiano, vivemos dias difíceis, o futuro é incerto e cheio de possibilidades. No entanto, a AAUE continua a trabalhar em soluções para que ainda este ano consigas viver a tua semana académica”, acrescentou a Associação Académica.

No comunicado, a associação académica sublinhou que a sua “maior preocupação é salvaguardar a saúde pública em consonância com as recomendações da reitoria da Universidade de Évora, da Direção-Geral da Saúde e do Governo”.

“A AAUE tudo fará para dar a oportunidade aos finalistas de viverem a sua semana académica, na certeza de que voltaremos a abraçar-nos na melhor semana académica do país, a nossa semana académica”, assinalou.

Também em comunicado, o Conselho de Notáveis da Universidade de Évora anunciou que o Dia Solene da Queima das Fitas e o Cortejo Académico foram suspensos, devido à pandemia da covid-19, sem data prevista para a sua realização.

“Sabendo os constrangimentos que esta suspensão pode causar, damos a garantia de procurar uma decisão ponderada, em conjunto com a reitoria da Universidade de Évora, no sentido de organizar o Cerimonial Final deste ano letivo, em data posterior, ao abrigo das recomendações das entidades responsáveis”, acrescentou.

O novo coronavírus, responsável pela pandemia da covid-19, já provocou mais de 112 mil mortos e infetou mais de 1,8 milhões de pessoas em 193 países e territórios.

Em Portugal, segundo o balanço feito hoje pela Direção-Geral da Saúde, registam-se 535 mortos, mais 31 do que no domingo (+6,2%), e 16.934 casos de infeção confirmados, o que representa um aumento de 349 (+2,1%).

No Alentejo, segundo a DGS, há 140 casos de infeção confirmados e ainda não se registou qualquer morte por covid-19.

O MEU COMENTÁRIO SOBRE ESTE ARTIGO