Crónicas de Bruxelas – Taça da União Europeia

0
42
TI
TI

Se há coisa que eu não entendo é quando os políticos se esquecem do que é que os seus cidadãos gostam ou tomam atitudes paternalistas em relação a isso. Se queremos que as pessoas adiram às prioridades estratégicas de uma unidade geográfica, essa unidade geográfica deve tentar entender como poderá comunicar com os seus cidadãos. Dado o perigoso distanciamento dos cidadãos em relação à política e, por inerência, à democracia, penso que está no momento de agir de forma revolucionária. Temos que pensar, como se costuma dizer, “fora da caixa”.

Este conteúdo é Exclusivo para Assinantes

Por favor Entre para Desbloquear os conteúdos Premium ou Faça a Sua Assinatura

O MEU COMENTÁRIO SOBRE ESTE ARTIGO