Cultura – Toda a poética de Mário Machado Fraião num só volume

0
27
DR/Renato Monteiro

O Instituto Açoriano de Cultura, com sede na ilha Terceira, vai editar, num só volume, os oito livros de poesia da autoria do faialense Mário Machado Fraião (1952-2010): Todas as filarmónicas perdidas e um poema por dizer (1980); As cordas e os metais, o sabor da paisagem (1985); Enquanto o mar se renova (1987); Os navios no horizonte (1988); As ruas demoradas (1989); Poemas do mar atlântico (1991); Os barcos levam nomes de mulheres (1995), Antes que o sol acabasse (obra póstuma, 2011).
O referido volume terá por título Poesia recolhida e conta com a coordenação e prefácio do nosso colaborador Victor Rui Dores que, em declarações ao nosso jornal, referiu que “Mário Machado Fraião é uma das vozes mais significativas no âmbito da melhor poesia portuguesa contemporânea”.
Professor do ensino secundário e investigador histórico, Mário Machado Fraião está incluído em várias antologias poéticas e livros colectivos. Dedicou-se também à crónica, à recensão literária e ao suplementarismo cultural. Preparava o seu doutoramento em História Contemporânea quando, no dia 8 de Novembro de 2010, faleceu vítima de acidente vascular cerebral. Contava 58 anos de idade.

O MEU COMENTÁRIO SOBRE ESTE ARTIGO