Dois mil pescadores começam a ser testados na sexta-feira

0
6
DR
Dois mil pescadores vão começar a ser testados à covid-19, a partir de sexta-feira, nos diferentes portos do país, depois de várias associações terem alertado para a importância da sua realização, revelou hoje o ministro do Mar.“Vamos começar com dois mil testes a pedido das associações”, disse Ricardo Serrão Santos, à margem de uma vista ao Oceanário, no Parque das Nações, em Lisboa.

De acordo com o governante, o processo envolve as várias associações do setor das pescas, os municípios, as forças de segurança, os hospitais, o Ministério da Saúde e o Ministério do Mar.

“É algo que os pescadores estavam a pedir, porque, obviamente, trabalham em ambientes confinados e nota-se que têm algum receio”, referiu o ministro, salientando que as associações estão a gerir todo o processo com as autoridades.

Segundo Ricardo Serrão Santos, a iniciativa, que vai começar na sexta-feira, funcionará por candidatura das associações.

As declarações do ministro surgem um dia depois de a Associação Pró Maior Segurança dos Homens do Mar (APMSHM) ter previsto que cerca de dois mil pescadores, que operam na zona norte do país, pudessem, em breve, ser testados à covid-19.

Para o setor das pescas, o governante adiantou ainda que foram gastos 2,7 milhões de euros em materiais de proteção, lançando agora outro apoio de um milhão de euros para a aquisição de máscaras e material de desinfeção.

”Estamos agora a abrir um outro apoio de um milhão de euros, para que haja proteção, a bordo, com máscara e material de desinfeção”, sublinhou, relembrando que “não há nenhum caso de covid-19, até ao momento, assinalado nas comunidades de pesca”.

A nível global, segundo um balanço da agência de notícias AFP, a pandemia de covid-19 já provocou mais de 297 mil mortos e infetou mais de 4,3 milhões de pessoas em 196 países e territórios.

Mais de 1,5 milhões de doentes foram considerados curados.

Em Portugal, morreram 1.184 pessoas das 28.319 confirmadas como infetadas, e há 3.198 casos recuperados, de acordo com a Direção-Geral da Saúde.

O MEU COMENTÁRIO SOBRE ESTE ARTIGO