Eleições Regionais – Paula Decq Mota e André Goulart são os candidatos da CDU pelo Faial

0
87

Na passada quarta-feira, dia 19 de agosto a CDU/Açores apresentou Paula Decq Mota e André Goulart como primeiros candidatos do partido ao Círculo Eleitoral do Faial, às próximas eleições legislativas, marcadas para outubro.
Na presença de Marco Varela, Coordenador Regional do PCP e 1.º candidato do partido pelo Círculo Eleitoral de Compensação, Paula Decq Mota afirmou que este desafio “não foi aceite de ânimo leve”. No entanto, “um conjunto de questões relacionadas com o Faial, com a vida política regional e com a nossa sociedade” foram determinantes para a sua decisão.
Neste contexto, a candidata garantiu que pretende “apresentar uma candidatura que dá alternativa e força a todos os faialenses”. “Hoje, como no passado, estamos aqui para cumprir este importante papel. A CDU no Faial tem provas dadas na defesa dos interesses da ilha e da sua população” disse, considerando que “os faialenses souberam, ao longo dos anos, reconhecer essa força”.
Paula Decq Mota aproveitou a ocasião para apelar ao voto. “Deixo aqui um apelo especial, aos jovens, aos descontentes, aos desinteressados, aos desligados, aos zangados, aos 6000 faialenses que há quatro anos acharam que não iam fazer diferença, pois não votaram. A esses digo que fazem mesmo toda a diferença”, referiu.
A candidata defendeu ainda que “o arquipélago apenas se desenvolve harmoniosamente com o desenvolvimento equilibrado das suas 9 ilhas”, salientando a este respeito que “infelizmente, quem tem exercido o poder assim não pensa, pois considera que há ilhas mais importantes que outras”, por isso, para Paula Decq Mota “tal como no passado, é preciso no Faial quem o defenda, livremente e descomprometidamente, sem qualquer outro objetivo ou intenção que não seja a defesa do que consideramos essencial para o seu desenvolvimento” disse , frisando que “a força do Faial será tanto maior quanto a força daqueles que, na realidade, o defendem”.
Já para André Goulart aceitar o convite foi fácil, por se tratar de um “projeto que pretende ser uma lufada de ar fresco a este período de dias húmidos e ar de enfado – a que nos ditaram já demasiados anos de governação de maioria absoluta socialista”, afirmou.
“Confio plenamente que a Paula Decq Mota e qualquer elemento da lista da CDU/Faial fará o seu melhor para defender uma série de questões que não estão bem na nossa ilha e o tempo tarda em vê-las resolvidas”.
“As pessoas cada vez menos sentem a causa da coletividade, do seu clube, do seu grupo folclórico, da sua filarmónica. Isto assusta-me muito porque ao longo de décadas tivemos no Faial um espírito comunitário fora do normal, com largas centenas de pessoas envolvidas em ações da sua freguesia”, lamentou o candidato.
Também o 2.º candidato foi ao encontro do discurso de Paula Decq Mota, chamando a atenção para a importância do voto.
“Somos apenas chamados a participar 1 vez de 4 em 4 anos para eleger quem, supostamente, melhor nos irá representar nos 4 lugares faialenses dos 57 totais da ALRA. Apenas 1 vez em 4 anos, uma coisa de cinco minutos, e optam por ficar em casa. É aqui que estamos errados, é aqui que falhamos como um todo. Os jovens também são parte para a solução governativa açoriana. Há que permitir espaço a isso mesmo, e não apenas a fazer como alguns que apontam membros das suas juventudes em lugares dificilmente elegíveis”, criticou.
Numa manifestação de apoio aos candidatos do Faial, Marco Varela, explicou o projeto coletivo que a CDU/Açores irá apresentar na ilha do Faial e na Região, garantido que “a CDU, coloca-se assim como a força política que melhor se situa para contribuir na construção de uma alternativa política, porque que assumiremos as responsabilidades que os eleitores nos quiserem conferir aqui no Faial”, frisou, prometendo que “com a eleição de mais deputados da CDU para a ALRAA nada será como hoje”.

Marco Varela é o candidato da CDU pelo Círculo Eleitoral da Compensação

A CDU/Açores apresentou, no passado dia 11 de agosto, no Centro de Trabalho do PCP de Ponta Delgada, Marco Varela como 1.º candidato do partido pelo Círculo Eleitoral de Compensação e Henrique Levy como mandatário da lista na Região.
Na sua intervenção, Marco Varela, afirmou que “o reforço da CDU e da sua capacidade de intervenção é uma das questões centrais que estão colocadas aos trabalhadores e ao povo, para que os seus direitos sejam defendidos”.
Neste sentido, considerou que a eleição de um Grupo Parlamentar da CDU “é o fator decisivo e essencial” para a “tão desejada e necessária mudança”, defendendo ainda que o fortalecimento da CDU “é a melhor garantia” para acabar com as maiorias absolutas e para abrir “caminho a uma política de esquerda” no Arquipélago.
Para o candidato o reforço da CDU é também a “condição indispensável para construir uma alternativa política de futuro para os Açores”, garantiu na ocasião.
Na declaração política que fez, o candidato pelo Circulo de Compensação apresentou os 12 eixos que a CDU/Açores defendeu e irá defender para a Região, na qual se destacam a elaboração de um Plano de Combate a Precariedade, de apoio às micro, pequenas e médias empresas, na perspetiva da criação de emprego sustentável e com direitos.
A valorização salarial, defesa dos direitos laborais e aumento do Acréscimo Regional ao Salário Mínimo Nacional, de 5% para 7,5%, o combate à pobreza e à exclusão social: aumento do complemento regional de pensões, abono de família e a redução da taxa mais alta do Iva, também constam desta lista a que se junta ainda as creches gratuitas e o aumento da rede pública de creches, os incentivos à fixação de jovens em todas as ilhas e nos centros históricos das cidades e melhores transportes públicos – terrestres, marítimos e aéreos – numa perspetiva de mobilidade integrada, e consequentemente a diminuição dos preços das passagens e criação de passes sociais.
Na mira da CDU consta também a valorização da produção regional (Agricultura, Pescas e Indústria transformadora), o reforço e defesa dos serviços públicos – em particular Saúde e da Educação, do sector Público Empresarial Regional e a Defesa do meio ambiente.
A coligação Democrática não esqueceu a cultura, defendendo neste contexto, a criação de uma política de valorização da Cultura e da Ciência e Tecnologia.
A finalizar, a CDU/Açores garante que irá debater-se pelo desenvolvimento harmonioso e equilibrado das noves ilhas do arquipélago dos Açores.
Por sua vez, o mandatário, Henrique Levy explicou os motivos pelos quais, enquanto cidadão independente e atento à política da nossa Região, o levaram a apoiar o programa desta força política.
Entre outras razões apresentadas, destacou que “pela sua situação geográfica e condições particulares, os Açores são considerados um centro estratégico de observação do Atlântico” e por esse motivo “devem constituir-se como um Território de mudança para o desenvolvimento de uma nova consciência social e económica.

 

O MEU COMENTÁRIO SOBRE ESTE ARTIGO