Energia é um setor preponderante para aumentar a competitividade das empresas açorianas, afirma Diretora Regional

0
11
DR

A Diretora Regional da Energia destacou a necessidade de “promover a sustentabilidade nas empresas açorianas por via da energia”, incrementando a sua competitividade e o seu posicionamento no mercado através da disponibilização de “um enquadramento incentivador à adoção de práticas vanguardistas no uso racional da energia”.

Andreia Carreiro falava, em Lisboa, à margem de um encontro sobre ‘Eficiência Energética – Tecnologias de Armazenamento para os Setores de Comércio e Serviços’ que reuniu diversos especialistas, onde sublinhou a importância da participação assídua da Região em iniciativas de cariz internacional que fomentem a captação e a partilha das melhores práticas nesta matéria.

A Diretora Regional referiu que as atividades associadas ao setor do comércio e serviços foram responsáveis pelo consumo de cerca 35% do total da eletricidade obtida nos Açores em 2018, considerando “fundamental a promoção da eficiência energética das empresas açorianas, garantindo, também por esta via, os elevados padrões de sustentabilidade da economia regional, alicerçados neste vetor”.

“A política energética destas entidades deverá estar alinhada com as soluções e tecnologias emergentes neste domínio, quer ao nível da produção para autoconsumo, quer ao nível do armazenamento”, defendeu Andreia Carreiro, ressalvando que esta opção, “aliada a uma gestão otimizada do edifício do ponto de vista energético, posiciona o empresário enquanto utilizador de energia ativo, o denominado ‘prossumer’, que poderá auxiliar os serviços de sistema de rede”.

Para a Diretora Regional, a alavancagem da implementação destas práticas é promovida pelo Governo dos Açores através do Proenergia, sistema de incentivos à produção e armazenamento de energia a partir de fontes renováveis, cuja alteração foi recentemente publicada, permitindo apoiar, igualmente “os sistemas de armazenamento, dando também resposta às necessidades das empresas açorianas, permitindo que invistam em sistemas inovadores, com um esforço financeiro final reduzido”.

Na ocasião, Andreia Carreiro salientou ainda o sistema de incentivos para a competitividade empresarial Competir+, que “reconhece, igualmente, a preponderância das melhores práticas e sistemas que promovem a eficiência energética e os respetivos impactes económicos nas empresas, contemplando uma majoração que pode atingir os 2,5% no apoio concedido aos projetos que incluam esta componente imprescindível”.

“A Direção Regional da Energia tem desenvolvido um trabalho muito interessante junto das entidades açorianas que têm vindo a apresentar os seus projetos no âmbito do Competir+”, afirmou, acrescentando, neste contexto, que “a ação do Governo tem vincado a orientação em matéria de energia aos promotores, potenciando a sua capacidade de geração de riqueza também por via das poupanças alcançadas através da eficiência energética, criando mais e melhor emprego nos Açores”.

O MEU COMENTÁRIO SOBRE ESTE ARTIGO