Exames Nacionais: resultados “acompanham tendência nacional”, diz Sofia Ribeiro

0
96
DR
DR

Já são conhecidos os resultados da primeira fase dos exames nacionais de 2021. A Região acompanha a tendência nacional das classificações obtidas nestas provas. Sofia Ribeiro, Secretária Regional da Educação, esclarece que “os exames deste ano, da responsabilidade direta do Ministério da Educação, foram, regra geral, mais complexos, quer a nível da dificuldade das perguntas, quer da estrutura das provas, de que resultou uma descida de um valor na média nacional, e também na regional, face ao ano passado”.

A governante salienta que, “nas disciplinas com maiores índices de participação em exame, os resultados na Região ainda se aproximam mais aos nacionais”.

“Em Português A, a média na Região foi 11,8, enquanto o país registou 12 valores; em Biologia e Geologia a média nos Açores foi 11,1 e a nacional foi 12 valores; em Matemática A, a nossa média foi 10,2 e a do país, 10.6; por último, em Física e Química A, a média da Região foi 9,5, e a nacional foi 9.8 valores”, sublinha.

De acordo com a titular da pasta da Educação, “não se pode inferir efeitos diretos da pandemia nos resultados dos exames”.

E justifica: “Em várias situações, as escolas de São Miguel, que foram as que estiveram mais tempo em ensino à distância, destacaram-se como as escolas com melhores resultados da Região, como é o caso da Escola Secundária Domingos Rebelo em Física e Química A, da Escola Secundária Antero de Quental em Matemática A e da Escola Secundária da Ribeira Grande em Geometria Descritiva”.

“Destacam-se ainda avaliações de excelência, tendo sido registadas as notas máximas de 20 valores a Matemática A e a Geometria Descritiva na Escola Secundária Antero de Quental e a Alemão na Escola Secundária Domingos Rebelo; 19,9 a Física e Química na Escola Secundária Jerónimo Emiliano de Andrade; 19,8 a Português A na Escola Secundária Domingos Rebelo e de 19,7 a Filosofia na Escola Básica e Secundária da Graciosa”, realça também Sofia Ribeiro.

“Estes resultados mostram a resiliência dos professores e especialmente dos alunos, após dois anos escolares sujeitos a constrangimentos decorrentes da pandemia”, destaca a governante.

Recorde-se que todas as escolas da Região estiveram encerradas todo o terceiro período do ano passado e que, neste ano escolar, as escolas da ilha de São Miguel estiveram várias semanas em ensino à distância, o que praticamente não se registou nas restantes ilhas do arquipélago.

Sofia Ribeiro refere ainda que a Secretaria Regional se encontra a preparar o arranque do próximo ano letivo, destacando “a dinamização do plano de recuperação das aprendizagens regional, que contempla medidas específicas por escola, e que será posto em prática com o reforço das respostas docentes, resultantes de um aumento do número de vagas lançadas a concurso para 2021/2022”.

O MEU COMENTÁRIO SOBRE ESTE ARTIGO