Graciosa terá sistema de partilha de bicicletas elétricas e miniautocarro 100% elétrico no âmbito do projeto Ilha Modelo

0
21
DR/GACS
DR/GACS

A Secretária Regional da Energia, Ambiente e Turismo adiantou que, no âmbito do projeto “Graciosa – Ilha Modelo”, esta ilha passará a contar com um sistema de bicicletas elétricas partilhadas e um miniautocarro urbano de passageiros 100% elétrico.

Marta Guerreiro falava, em Santa Cruz da Graciosa, no âmbito da celebração de um protocolo de cedência de um sistema de bicicletas elétricas partilhadas e de um contrato-programa para aquisição de um miniautocarro urbano de passageiros elétrico com o Município de Santa Cruz da Graciosa, no valor de 45 mil euros

“Não posso deixar de enfocar as diversas iniciativas que têm vindo a ser promovidas pelo Governo dos Açores em matéria de energia. Exemplo disso é o projeto Ilha Modelo, com especial foco na  mobilidade elétrica”, referiu a governante, destacando “o reforço da rede de pontos de carregamento para veículos elétricos, o alargamento dos incentivos à aquisição de veículos elétricos a táxis e rent-a-car da Graciosa, o desenvolvimento de uma plataforma de gestão partilhada de frota de viaturas da administração pública e a introdução de viaturas elétricas nos transportes públicos da Graciosa”.

“Neste último caso, trata-se da aquisição de um miniautocarro urbano de passageiros elétrico, apoiado através da celebração deste contrato-programa entre a Região e a Empresa de Transportes Coletivos da Ilha Graciosa”, afirmou.

A Graciosa terá também um sistema de uso partilhado, que, neste momento, contempla 15 bicicletas elétricas e três estações de carregamento e parqueamento, para carregamento de oito bicicletas em simultâneo.

A titular da pasta da Energia sublinhou que se “trata de mais uma opção por meios suaves de mobilidade, com importantes impactes ambientais e na dinâmica de transportes terrestres desta ilha”.

“No fundo, este projeto pretende fazer da ilha Graciosa um modelo enquanto ecossistema elétrico inteligente, assente na utilização sustentável dos seus recursos naturais e respetiva integração otimizada na rede”, realçou.

Segundo a Secretária Regional, “o fomento da mobilidade elétrica é peça-chave, sendo, portanto, prioritário gerar um modelo de soluções integradas, assentes em práticas e tecnologias pioneiras e disruptivas nesta matéria, de modo a permitir que o setor dos transportes terrestres usufrua de energia limpa, em detrimento dos combustíveis fósseis”.

O MEU COMENTÁRIO SOBRE ESTE ARTIGO