Maior participação de sempre na edição de 2019 das 7 Maravilhas

0
11

As Candidaturas às 7 Maravilhas Doces de Portugal® fecharam à meia noite de ontem (17 de março) com 907 inscrições de todo o país. Este é o maior envolvimento de sempre numa eleição 7 Maravilhas, que este ano organiza a sua oitava edição.

As candidaturas às 7 Maravilhas Doces de Portugal® terminaram ontem, 17 de março, à meia noite, e alcançaram o melhor resultado de sempre numa eleição 7 Maravilhas, com 907 doces inscritos nas 7 categorias a concurso. As candidaturas foram submetidas numa plataforma online, por entidades públicas, privadas e por pessoas singulares, e vão ser agora validadas pelo Conselho Científico.

“Estivemos a receber inscrições até ao último minuto de ontem, numa mobilização sem precedentes numa eleição 7 Maravilhas. Nunca tínhamos recebido tantas candidaturas, o que não só nos permite ter uma representatividade e diversidade extraordinárias de toda a doçaria portuguesa, demonstrando que todo o país vive intensamente os nossos doces”, refere Luis Segadães, presidente das 7 Maravilhas.

Das 907 candidaturas apresentadas, a categoria de “Doces de Território” é a que conta com mais inscrições, num total de 246 candidaturas. Seguida pela categoria de “Doces de Inovação”, com 175 doces candidatos, em linha com a filosofia do concurso, que pretende por um lado valorizar a doçaria tradicional e por outro lado apostar na inovação, incentivando o empreendedorismo local.

A categoria de “Doce de Colher e Doce de Fatia” contou com 126 inscrições, seguindo-se os “Doces de Pastelaria” com 107 candidaturas. Os “Doces Festivos” têm 101 candidatos e os “Biscoitos e Bolos Secos” contam com 91 propostas.

Número de candidaturas por distrito:
Aveiro: 63
Beja: 28
Braga: 28
Bragança: 41
Castelo Branco: 40
Coimbra: 62
Évora: 53
Faro: 47
Guarda: 40
Leiria: 63
Lisboa: 69
Portalegre: 35
Porto: 63
Santarém: 53
Setúbal: 60
Viana do Castelo: 32

Vila Real: 36

Viseu: 47
Açores: 21
Madeira: 26

Número de candidaturas submetidas por entidade:
Alojamento Turístico: 1
Associações: 23
Confrarias: 8
Individuais: 35
Juntas de Freguesia: 12
Municípios: 111
Outros: 16
Pastelarias: 64

As 907 candidaturas vão ser agora avaliadas e validadas pelo Conselho Científico e a lista longa será revelada brevemente. Após validadas todas as candidaturas, um Painel de Especialistas vota para escolher 21 doces de cada distrito ou região autónoma, organizados pelas 7 categorias, sendo 3 de cada categoria, num total nacional que pode atingir os 420 doces.

Depois de fixada a Lista de 21 doces por cada distrito ou região autónoma, o Painel de Especialistas faz nova votação para reduzir a lista a 7 doces por distrito ou região autónoma, chegando à lista final de 140 doces que serão posteriormente apresentados para votação pelo público.

Estes 140 doces vão ser reveladas a 8 de maio e são votados pelo público em 20 programas de daytime, a emitir em direto pela RTP, nos meses de julho e agosto. De cada programa na RTP sai um pré-finalista que passa às semifinais.

Uma novidade desta edição é a existência de um Grande Júri, órgão de deliberação constituído por 7 figuras do espaço mediático, que será responsável pela da repescagem de 8 candidatos que se irão juntar aos 20 pré-finalistas apurados pelo público, resultando numa lista de 28 pré-finalistas.

Os 28 pré-finalistas são divididos por sorteio pelas duas semifinais, nos dias 24 e 31 de agosto, dois programas em direto na RTP1, transmitidos em horário nobre. Em cada semifinal são apurados os 7 doces, aqueles que tenham mais votos contabilizados. Nesta fase os 7 elementos do Grande Júri assumem grande preponderância, comentando e provando os Doces.

A Gala Finalíssima decorre a 7 de setembro de 2019 e será transmitida pela RTP1, em horário nobre. Dos 14 finalistas apurados vão ser eleitos 7 doces pelos portugueses como 7 Maravilhas de Portugal®.

7 Maravilhas de Origem Portuguesa no Mundo (Património Histórico), em 2009
7 Maravilhas Naturais de Portugal, em 2010
7 Maravilhas da Gastronomia, em 2011
7 Maravilhas – Praias de Portugal, em 2012
7 Maravilhas de Portugal – Aldeias, em 2017
7 Maravilhas à Mesa, em 2018
O Conselho Científico é um órgão constituído para apoiar a Organização do Concurso na elaboração do regulamento, na verificação das candidaturas e nas tomadas de decisão, tendo o objetivo de libertar a Organização de quaisquer tomadas de posição face aos candidatos a concurso, assegurando por isso, a máxima idoneidade, independência e equidistância do processo. As 7 Maravilhas Doces de Portugal® contam com os seguintes membros no Conselho Científico:
ACPP – Associação Cozinheiros Profissionais de Portugal;
AHRESP – Associação da Hotelaria, Restauração e Similares de Portugal;
APN – Associação Portuguesa de Nutrição;
FPCG – Federação Portuguesa das Confrarias Gastronómicas;
Ministério da Agricultura, Florestas e Desenvolvimento Rural;
RIPTUR – Rede de Instituições Públicas do Ensino Superior com Cursos na área do Turismo;
Turismo de Portugal – Escolas.

O projeto conta ainda com o apoio institucional do Ministério da Agricultura.

Todo o processo de eleição é auditado pela empresa internacional de auditores Pw

 

 

O MEU COMENTÁRIO SOBRE ESTE ARTIGO