“Não esqueçam as regiões ultraperiféricas!” – Vasco Cordeiro

0
20
DR
DR

O antigo Presidente do Governo Regional dos Açores e 1º Vice-Presidente do Comité das Regiões, Vasco Cordeiro, realçou hoje a necessidade de as regiões ultraperiféricas não serem esquecidas nos mecanismos e no processo de recuperação à escala europeia, quer na sua consideração pelas instituições comunitárias, quer na sua consideração pelos governos dos estados-membro.

Intervindo na sessão plenária do Comité das Regiões, que decorre esta semana em formato de videoconferência, mais concretamente no debate realizado com o Presidente do Conselho Europeu, Charles Michel, a propósito de “Pandemia, Recuperação e Democracia Europeia”, Vasco Cordeiro, salientou a importância de ter em devida consideração, nestes tempos de recuperação, a relação entre o investimento público e o crescimento.

“É por isso que o Comité das Regiões defende, no âmbito das suas prioridades políticas, uma regra de ouro para investimentos sustentáveis, a qual poderia contribuir para a melhoria da própria forma e capacidade que as instituições têm para promover a recuperação económica e social” acrescentou Vasco Cordeiro.

O também Deputado Regional açoriano pronunciou-se, igualmente, sobre a Conferência sobre o Futuro da Europa, defendendo que ela se deve concentrar em debater, quer a forma como a União Europeia funciona, quer as matérias sobre as quais trabalha.

“A melhor forma da Conferência sobre o Futuro da Europa ser nada é se tentar ser tudo. É por isso que ela se deve focar em dois aspetos essenciais: a forma como a Europa funciona e aquilo em que trabalha. Em qualquer uma destas matérias, a importância e o papel das autoridades regionais e locais da Europa é indesmentível! Por isso, contamos consigo Presidente Charles Michel para salientar esse papel e essa importância”, acrescentou Vasco Cordeiro.

O Comité das Regiões está a realizar a sua 143ª Sessão Plenária entre hoje e sexta-feira, decorrendo a mesma em formato em videoconferência devido à pandemia COVID-19. Este órgão consultivo, composto por 329 representantes regionais e locais dos 27 países da União Europeia, pronuncia-se sobre o processo legislativo europeu que diz respeito a matérias relacionadas com Regiões, como sejam o emprego, a política social, a coesão económica e social, os transportes, a energia e as mudanças climáticas.

O MEU COMENTÁRIO SOBRE ESTE ARTIGO