“Palco Aberto Açores” decorre a 17 de Maio com a participação de 6 músicos, de 4 Ilhas dos Açores.

0
57
DR/Viola da Terra
DR/Viola da Terra

Por: Viola da Terra

O “Palco Aberto – música original com viola da terra” é uma iniciativa da Associação de Juventude Viola da Terra com o intuito de encontrar músicos que, nos Açores, se têm dedicado à composição de peças originais para Viola da Terra. A primeira edição foi direcionada apenas para músicos da Ilha de São Miguel nas comemorações do “Dia da Viola da Terra” em Outubro de 2020.

Em 2021 o “Palco Aberto” foi alargado a todo o arquipélago e contará com a participação de 6 músicos, de 4 Ilhas dos Açores. O concerto decorrerá em formato “on-line” no dia 17 de Maio pelas 20:30 na página de facebook e Youtube da Associação: facebook.com/aj.violadaterra e youtube.com/ajvioladaterra.

Guilherme Rodrigues de 14 anos, natural de Vila Franca do Campo, iniciou os seus estudos na Viola da Terra aos 6 anos no Conservatório Regional de Ponta Delgada tendo composto o seu primeiro original para a Viola com apenas 10 anos de idade. De São Miguel participa ainda Romeu Bairos, músico que começou a tocar Viola da Terra há 2 anos e que participou este ano no Festival da Canção com os Karetus, com o seu tema “Saudade”. Irá apresentar-se com mais um original.

Com a Viola de 15 cordas temos a participação do Terceirense Tiago Toste, de 36 anos, e que irá apresentar pela primeira vez ao público um original seu para aquela Viola, inspirado na música de cariz “medieval”. Ainda com a viola de 15 cordas teremos Pieter Adriaans, um Holandês radicado em São Jorge há quase duas décadas e que apresenta uma música original sua para Guitarra Clássica agora adaptada para a Viola.

De Santa Maria temos Rui Resendes, de 29 anos, um músico que aprendeu Viola da Terra aos 14 ou 15 anos e que se tem dedicado ao instrumento com maior regularidade nos últimos 3 anos com o “Projecto Engengroaldenga”, tendo já algumas peças originais para a Viola. Para finalizar contamos com a participação de Ernesto Bica, músico Mariense conhecido de todos pelos vários projectos musicais que integra dos quais se destaca “Ronda da Madrugada”. O músico tem inúmeros originais para a Viola compostos há muitos anos e assume que, depois de 15 anos sem poder dedicar-se muito ao instrumento, regressou agora com novas explorações e composições para a Viola de Dois Corações.

Principalmente nos tempos actuais em que a Viola da Terra é ensinada nas Escolas de Ensino Artístico da Região e em que o Governo dos Açores pretende candidatar a Viola da Terra a património da Unesco é fundamental conhecer, registar e valorizar o trabalho de quem está a compor novo repertório para o instrumento! Obtém-se assim a confirmação de que a Viola nos Açores continua a recriar-se ao longo dos tempos ganhando com isso outras abordagens.

A Associação de Juventude Viola da Terra entendeu avançar com esta importante iniciativa, mesmo sem quaisquer apoios, pela sua grande relevância para a Viola da Terra e por ser também uma forma de incentivar e motivar os músicos a apresentarem as músicas que vão experimentando e compondo nas nossas Violas dos Açores.

Para 2022, dado o sucesso desta iniciativa, a Associação pretende organizar uma terceira e última edição do “Palco Aberto” direcionada a todos os músicos dos Açores, Comunidades Açorianas ou qualquer outra parte do mundo, que tenham composições originais com a Viola da Terra, bem como compositores que tenham criado originais para a Viola mesmo que não sejam executantes.

O MEU COMENTÁRIO SOBRE ESTE ARTIGO