Prevenção de comportamentos de risco – Equipas de saúde escolar e das IPSS recebem formação em teatro

0
24
blank
DR/GaCS

A Diretora Regional de Prevenção e Combate às Dependências salientou hoje, em Ponta Delgada, a mais valia da formação das equipas de saúde de escolar e de profissionais das IPSS em ‘Teatro do Oprimido’, vocacionada para a prevenção de comportamentos de risco em jovens.

Suzete Frias, que falava na primeira ação de formação sobre a metodologia do ‘Teatro do Oprimido’ dirigida às equipas de saúde escolar e a profissionais das IPSS, referiu que esta formação prepara os formandos para intervirem nas vertentes social, pedagógica e terapêutica.

“As evidências científicas revelam que os métodos interativos, como é o caso das artes cénicas, para além de mais aliciantes, têm impactos mais consistentes no que diz respeito à mudança de comportamentos”, acrescentou.

Nesta primeira ação de formação participam 15 profissionais da ilha de São Miguel, sendo objetivo o seu alargamento às equipas de Saúde Escolar e a profissionais das IPSS da Região.

“Tivemos já uma primeira experiência na Maia, em fevereiro, com esta forma de representação que foi muito gratificante, onde os jovens participantes foram capazes de construir cenas com fixação de papéis e clarificação da opressão”, salientou a Diretora Regional.

Suzete Frias referiu que, através do teatro-debate, é proporcionado um espaço de interatividade e diálogo sobre problemáticas como o álcool, o consumo de substâncias ilícitas, o assédio sexual ou o ‘bullying’.

“Para difundir esta metodologia, o Governo Regional decidiu capacitar os profissionais ligados à saúde escolar e às IPSS com esta metodologia inovadora e lúdica, dotando-os de uma nova ferramenta para a sua intervenção no que diz respeito à prevenção de comportamentos de risco”, frisou.

O ‘Teatro do Oprimido’, mais do que uma forma de fazer teatro, é um método que tem como principal objetivo o desenvolvimento de competências pessoais, numa perspetiva de autoconhecimento com potencial terapêutico.

“Através da partilha de experiências e da avaliação de situações concretas, pretende-se que os jovens, perante o risco, sejam capazes de gerir emoções e tomar decisões conscientes”, frisou a Diretora Regional.

Esta ação de formação é desenvolvida por técnicos da Direção Regional de Prevenção de Combate às Dependências e faz parte do Plano Regional de Ação para a Redução dos Problemas Ligados ao Álcool.

O MEU COMENTÁRIO SOBRE ESTE ARTIGO

Por favor escreva o seu comentário!
Por favor coloque o seu nome aqui
Captcha verification failed!
Falha na pontuação do usuário captcha. Por favor, entre em contato conosco!