Rui Bettencourt destaca confluência, nos Açores, dos espaços de cooperação das RUP e da Macaronésia

0
19
blank
DR

O Secretário Regional Adjunto da Presidência para as Relações Externas destacou hoje, na Lagoa, a importância dos Açores na confluência existente entre os espaços de cooperação das Regiões Ultraperiféricas (RUP) e da Macaronésia.

“Temos aqui uma confluência de dois espaços de cooperação, em que estamos neste momento, precisamente, a trabalhar e a avançar, a fazer história”, afirmou Rui Bettencourt, que que falava na sessão de abertura das XVI Jornadas Autárquicas das Regiões Ultraperiféricas da União Europeia e de Cabo Verde, considerando que esses espaços de interação entre poderes regionais e municipais devem ser potenciados.

“Esses dois espaços aos quais nós pertencemos são para nós estratégicos, são para nós importantíssimos, são de futuro”, frisou o governante, salientando o facto de os Açores se centrarem “na confluência de dois espaços de cooperação muitíssimo importantes”, como é o caso das RUP e da Macaronésia.

No que concerne às RUP, recordou o seu estatuto “muito particular”, considerando que a União Europeia “tem a obrigação de ver e compensar” as suas fragilidades, mas também reconhecer as mais valias para a Europa,  tais como a dimensão oceânica,  a projeção mundial e o posicionamento geoestratégico “na fronteira de vários mundos”, argumentos em cuja defesa têm vindo a insistir para que esta realidade seja cada vez mais conhecida e para que a UE e os Estados Membros sejam sensíveis a essa realidade.

O Secretário Regional salientou ainda as reuniões em que participou esta semana em Bruxelas, entre os Presidentes das RUP e a Comissão de Desenvolvimento Regional do Parlamento Europeu (PE), a Presidência finlandesa do Conselho e com os Governos dos Estados membros das RUP, numa altura em que está em causa a preparação do Quadro Financeiro 2021/2027 e na qual “é fundamental que esse reconhecimento seja feito”.

Para Rui Bettencourt, “tudo isto está a acontecer no início de um novo ciclo institucional da União Europeia, com o PE a arrancar os seus trabalhos e com a Comissão Europeia a tomar posse nas próximas semanas”, referindo que os Açores têm desenvolvido uma estratégia que assenta num envolvimento interno da sociedade civil açoriana e num envolvimento político da Assembleia Legislativa Regional, que deu “grande legitimidade” ao Governo dos Açores em todo este processo de conversações e negociações com Bruxelas.

“Um outro espaço não menos importante é a Macaronésia”, disse ainda o titular da pasta das Relações Externas, considerando que os quatro arquipélagos que constituem este espaço de cooperação são “muito parecidos e muito complementares”.

“Essa complementaridade é importante de realçar, portanto também estamos aqui num espaço de cooperação de futuro. A Macaronésia é um espaço interessantíssimo, temos milhões de pessoas que habitam esse espaço  e esta complementaridade está a  ser potenciada e queremos ir mais longe”, frisou.

“Estamos em plena efervescência de uma cooperação territorial, com os Açores na sua confluência, que é muito produtiva e esta reunião demonstra a vivacidade que os vários espaços de cooperação têm e os vários níveis de governação que têm” afirmou o Secretário Regional.

Na sua intervenção, Rui Bettencourt disponibilizou as instalações do Gabinete de Representação dos Açores em Bruxelas, manifestando o apoio logístico e a disponibilidade do mesmo sempre que algum dos municípios da Macaronesia necessite, pondo em prática esta cooperação também em Bruxelas.

O MEU COMENTÁRIO SOBRE ESTE ARTIGO