Rui Bettencourt insiste, em Bruxelas, na mobilização de todos para a defesa dos Açores e das Regiões Ultraperiféricas

0
6
DR

O Secretário Regional Adjunto da Presidência para as Relações Externas reiterou, em Bruxelas, a posição dos Açores, juntamente com as outras Regiões Ultraperiféricas (RUP), sobre o próximo Quadro Financeiro Plurianual e o importante papel destas regiões na União Europeia.

Rui Bettencourt, que falava aos jornalistas no final de uma reunião dos Presidentes das Regiões Ultraperiféricas com os Governos de Portugal, Espanha e França, na qual participou em representação do Presidente do Governo, Vasco Cordeiro, manifestou otimismo, considerando que estes contactos deixam boas perspetivas.

“Notamos uma compreensão muitíssimo alargada daquilo que são as RUP e essa compreensão, que se traduz num ação muito própria de defesa das Ultraperiféricas, dá-nos uma grande esperança”, afirmou o titular da pasta das Relações Externas, referindo-se à Comissão Europeia, ao Parlamento Europeu e a uma grande parte dos Estados Membros do Conselho Europeu, esperando que a mesma se manifeste nos próximos meses.

“Temos grande esperança, sobretudo porque vimos que nestas reuniões tem havido uma grande adesão, natural e muito espontaneamente, dos Estados Membros e de parlamentares europeus, e tem sido muitíssimo positivo” frisou.

Rui Bettencourt realçou ainda que esta postura de vários e importantes decisores europeus não acontece por acaso, mas decorre de um trabalho de explicitação da posição açoriana e de alianças que começa agora a dar fruto.

Para o Secretário Regional, estes dois dias de reuniões em Bruxelas tiveram como “função primeira” a articulação entre os Presidentes das Regiões Ultraperiféricas de “uma posição conjunta em relação quer ao reconhecimento que a União Europeia pode ter destas regiões, quer em relação, de uma maneira muito particular, a uma posição sobre o Quadro Financeiro Plurianual 2021/2027”.

“Temos uma posição muito firme de não aceitar cortes, de não aceitar que se modifique a taxa de cofinanciamento. Depois, em função desta posição conjunta, que nós tivemos de uma maneira consensual, vimos a Presidência finlandesa, encontramos a Comissão Parlamentar de Desenvolvimento Regional, a Comissão REGI, com o seu presidente Omarjee”, referiu Rui Bettencourt, salientando que esta foi “uma reunião muitíssimo útil” na qual todos perceberam que o Parlamento Europeu compreende as Ultraperiféricas, está do lado delas e defende a sua posição.

O Secretário Regional destacou ainda o facto de nestas reuniões terem sido referidas as fragilidades das RUP, que estão reconhecidas no Tratado sobre o Funcionamento da União Europeia, mas também as suas mais valias para a União Europeia, abordagem que tem sido insistentemente defendida pelos Açores.

“As Regiões Ultraperiféricas têm 40% do mar da União Europeia, dão uma projeção mundial à UE e dão também um posicionamento geoestratégico à UE, portanto tudo isso tem que ser reconhecido e tem que ser colocado na balança também quando se tratar das fragilidades que temos e também das potencialidades que temos”, afirmou Rui Bettencourt.

O MEU COMENTÁRIO SOBRE ESTE ARTIGO