Taxa de desemprego nos Açores regista os números mais baixos dos últimos cinco anos

0
6

Dados avançados esta semana pelo Instituto Nacional de Estatística (INE) referentes ao desemprego, demonstram que os Açores registaram no último trimestre a taxa mais baixa dos últimos cinco anos.

Segundo o Vice-Presidente do Governo os números “revelam, mais uma vez, uma redução consistente e sustentada da taxa de desemprego nos Açores”, reforçando que “no último trimestre, a taxa de desemprego é a mais baixa dos últimos cinco anos e, pelo nono trimestre consecutivo, verifica-se uma diminuição homóloga do número de desempregados nos Açores”.

 Sérgio Ávila, divulgou a este respeito que “hoje existem mais 9.218 Açorianos empregados do que no início de 2014 e menos 8.768 Açorianos desempregados”. De acordo com Vice-Presidente, só no último ano, “verificou-se uma redução de 13,5% da população desempregada, ou seja, só no último ano conseguiu-se retirar do desemprego 2.021 Açorianos”, avança o GACS .

Sobre este assunto, Sérgio Ávila destacou ainda a “redução significativa da taxa de desemprego jovem”, que constitui outra “prioridade” no âmbito do combate ao desemprego.

A finalizar Sérgio Ávila, sublinhou que os dados revelados pelo INE transmitem “mais convicção, mais força e mais energia para continuar a empreender esta trajetória”, assegurando que “enquanto houver um Açoriano desempregado, é um desafio que temos que vencer”.

Relativamente à taxa de desemprego de 10,7% registada nos Açores, o GACS revela que representa “a terceira menor do país, sendo a Madeira, com 13,2%, a região com a maior taxa, seguindo-se o Alentejo, com 12,0%, o Norte, com 11,8%, e Lisboa, com 10,9%”.

 

LEIA A NOTICIA COMPLETA NA NOSSA EDIÇÃO IMPRESSA OU

SUBSCREVA A ASSINATURA. Basta preencher o formulário

https://docs.google.com/forms/d/e/1FAIpQLScF1d_clSmrQ16Tj0nvB7RJMzSS4JV3xf0WoCWtiykBM8hEKA/viewform

https://www.tribunadasilhas.pt/

https://www.facebook.com/tribunadasilhas

https://twitter.com/tribunadasilhas

http://issuu.com/tribunadasilhas

                

O MEU COMENTÁRIO SOBRE ESTE ARTIGO