Terminal de Cargas das Lajes: CDS-PP quer avaliação da infraestrutura inaugurada em 2021

0
12
DR
DR

O Parlamento açoriano aprovou por unanimidade uma recomendação do CDS-PP ao Governo Regional para avaliar o projeto de conceção e construção do novo terminal de cargas da Aerogare Civil das Lajes. Trata-se de um projeto iniciado pelo anterior governo socialista que foi concluído em 2021 e inaugurado pelo atual governo de coligação, a 19 de fevereiro de 2021.

O debate ocorrido nesta quarta-feira incidiu sobre um projeto de resolução datado de 31 de
março de 2021, que “mantém a sua atualidade e pertinência, apesar de volvido mais de um ano”, entende o deputado Pedro Pinto.

“Volvido pouco mais de um ano desde a submissão desta iniciativa, a Comissão Permanente de Economia realizou diligências e apresentou um relatório”, revelou Pedro Pinto, “de onde se pode concluir que o novo terminal de cargas da Aerogare Civil das Lajes padece de alguns problemas de inadequação à função para a qual foi projetado, verificando-se inúmeros constrangimentos, evidenciados pelo rol de queixas que gerou”.

“Ao fim de pouco mais de um mês de funcionamento, os operadores económicos que utilizam esta infraestrutura já manifestavam publicamente falhas consideradas graves, não só por se tratar de uma obra nova, mas também porque demorou cerca de década e meia a ser projetada e edificada, tendo havido tempo suficiente para ter sido concebida a pensar nas necessidades do futuro”, lê-se na iniciativa aprovada. Tal situação afigura-se especialmente preocupante atendendo à importância desta infraestrutura para a economia da Ilha Terceira, há muito necessária e enfim traduzida num investimento de quatro milhões e seiscentos mil euros.

No rol de deficiências apontadas, elenca-se uma perda significativa de capacidade de
armazenamento em frio, na ordem dos 70%, por comparação com o anterior terminal de carga; a inexistência de um cais de carga e descarga, que obriga a realizar estas operações a céu aberto, com exposição direta aos elementos atmosféricos, enquanto no terminal do século passado existia local abrigado para o efeito; a própria localização e orientação do edifício, que o torna demasiado exposto aos elementos atmosféricos, nomeadamente ao vento que quando tem determinada orientação coloca dificuldades acrescidas às manobras que ali se realizam; a escassa dimensão e capacidade do parque de estacionamento de viaturas; o exíguo espaço disponível para manobras de máquinas e veículos; demais condicionamentos à manobra das cargas no interior do terminal.

“A desadequação do novo terminal de cargas é tal que os CTT optaram por continuar a operar no terminal do século passado” alertou o deputado do CDS-PP. Em síntese, “o terminal de cargas da Aerogare Civil das Lajes apresenta-se como um imóvel contemporâneo que parece não conseguir servir satisfatoriamente as necessidades que estão subjacentes à sua conceção e construção.”

O Grupo Parlamentar do CDS-PP defende, por isso, que “importa realizar uma avaliação do projeto de conceção e construção do novo terminal de cargas da Aerogare Civil das Lajes, do edifício e dos seus equipamentos, identificando os pontos onde não satisfazem os requisitos da função para que foram projetados ou adquiridos e proceda às alterações que considere possíveis e necessárias para corrigir esses erros”.