Turismo: Terceira refém da promoção e das acessibilidades

0
22
DR

O PSD/Terceira reagiu hoje aos mais recentes dados do Turismo, que indicam uma descida de 6,4% das dormidas na ilha, entre janeiro e maio, apesar de uma recuperação nesse último mês, e considerando que “a Terceira continua refém das políticas de promoção do governo regional, além de padecer com os problemas que se conhecem nas acessibilidades”, dizem.

É a vice-presidente da comissão política liderada por António Ventura. Mónica Seidi, quem sublinha que, no período em análise, e face a 2018, “Terceira, Santa Maria e o Corvo foram as três únicas ilhas do arquipélago a registar descidas”.

“Não são dados desconhecidos, porquanto a incapacidade do governo Regional em desenvolver o setor na ilha já é conhecida”, assim como “tarda em inverter-se esta tendência acentuada de quebra de dormidas, que se regista desde o ano passado, apenas com uma ligeira recuperação em maio”, adianta a social democrata.

“Não será alheio a isso o número de ligações entre a Terceira e América do Norte, que neste verão será claramente insuficiente. Para além da ineficácia comprovada na promoção da nossa ilha junto dos mercados internacionais que, como tem defendido o PSD, deve focar-se no turismo de natureza, na cultura e em eventos”, sublinha Mónica Seidi.

Os números do Serviço Regional de Estatística dos Açores (SREA) contabilizam as dormidas nos hotéis, nas unidades de turismo rural e no alojamento local.

Na Terceira, o alojamento local decresceu 8,3% em maio, mesmo com a tendência dos primeiros cinco meses do ano Já nas unidades hoteleiras tradicionais as dormidas subiram 15,2% em maio, mas depois de descerem 9,7% nos primeiros cinco meses do ano”, apontam os social democratas.

Segundo os valores agora divulgados pelo SREA, em termos de proveitos totais por ilha, a Terceira surge com uma ligeira descida, de 3%, desde o início do ano até maio”, concluem.

O MEU COMENTÁRIO SOBRE ESTE ARTIGO