Visita do Governo Regional – Investimentos no Faial rondam os quarenta milhões de euro

0
35
DR

DR

O Governo dos Açores, no âmbito das visitas estatutárias às nove ilhas do arquipélago, efetuou no início da passada semana uma deslocação de dois dias à ilha do Faial.

O primeiro dia de trabalhos dos membros do executivo ficou marcado pela inauguração do novo Matadouro, pela apresentação dos projetos das empreitadas de requalificação do Porto Comercial e da construção do edifício de apoio às Atividades Marítimo -Turísticas, assim como do projeto do Novo Quartel dos Bombeiros Voluntários da Horta e a visita às obras da Escola do Mar.
Já no segundo dia o Presidente do Governo procedeu à inauguração da creche “O Castelinho” e presidiu à apresentação do projeto de “Requalificação do Entreposto Frigorífico da Horta”.
Paralelamente a estas iniciativas, o executivo regional participou em várias reuniões de trabalho com diversas entidades locais, inclusive com o Conselho de Ilha do Faial e visitou alguns empreendimentos e investimentos nas áreas da agricultura e turismo.
De acordo com o executivo, os investimentos no Faial rondam os 40 milhões de euros (ME), sendo que cerca de 9 ME, dizem respeito à construção do Matadouro, da Escola do Mar e da Creche “O Castelinho” e os restantes 30 milhões aos investimentos a realizar na no Porto Comercial, no Entreposto Frigorífico e no novo Quartel dos Bombeiros. 

NOVO MATADOURO REPRESENTA UM INVESTIMENTO DE CERCA DE 5 ME

No âmbito da inauguração do Novo Matadouro do Faial, que decorreu na passada terça-feira, integrada na visita do Governo Regional a esta ilha, Vasco Cordeiro realçou a importância que esta obra tem para o Faial, salientando que a mesma vem de encontro “aos compromissos assumidos com os faialenses”.
Na sua intervenção o Presidente do Governo destacou a colaboração da Câmara Municipal da Horta na realização deste investimento através de uma permuta de cedência dos terrenos, revelando que “esta obra constitui mais um exemplo de uma parceria com resultados práticos e concretos”, disse.
Para Vasco Cordeiro este investimento revela-se de “grande importância não apenas para o Faial ou para o sector agropecuário da ilha”, mas numa “estratégia que está a ser desenvolvida em toda a Região”, afirmou.
“Este novo Matadouro representou um investimento superior a 5 ME e há semelhança de outros investimentos concluídos e em curso na Região na nossa Rede Regional de Abate, integra-se numa estratégia que tem o objetivo geral de fortalecimento da nossa agricultura, no caso concreto do sector da carne” e consequentemente na melhoria “da competitividade e do rendimento de todos aqueles que estão envolvidos nesta atividade”, referiu.
Segundo o presidente do executivo “esta é uma estratégia que tem produzido resultados concretos e objetivos ao longo do tempo, permitindo que a fileira da carne se assuma hoje, por mérito próprio, como uma importante atividade económica nos Açores”, defendeu Vasco Cordeiro, acrescentando que “em 10 anos, o consumo local de bovinos na Região cresceu 19%” e a “exportação de carcaças uns expressivos 352%”.
Para o presidente, este crescimento só foi possível pelo facto de a Região possuir “matadouros devidamente infraestruturados, equipados e em condições”, observou.
Na sua intervenção, o Presidente do Governo adiantou “o investimento em novos matadouros ou na requalificação dos já existentes totaliza cerca de 15 ME e permitirá valorizar esta fileira, criar condições para incrementar a comercialização e, no fundo, garantir a sustentabilidade e reforçar a competitividade da produção de carne nos Açores”, salientou.
O novo edifício, para além do matadouro, inclui uma zona destinada ao serviço de Classificação de Leite e outra à Delegação do IAMA na ilha do Faial.
O novo matadouro, possui todos os requisitos para que se cumpram integralmente as exigências tecnológicas, higio-sanitárias e ambientais legalmente impostas, uma estação de tratamento de águas residuais industriais, uma unidade de preparação e acondicionamento de subprodutos e despojos gerados no âmbito do processo de abate e uma unidade preparação e desmancha.
É, ainda, constituído por uma nave de abate com capacidade instalada de 15 a 20 bovinos/hora e de 40 suínos/hora, uma abegoaria com capacidade para 37 bovinos em parques individuais e 56 suínos ou 14 bovinos ou ainda 66 ovinos/caprinos em parques coletivos, bloco de frio com capacidade de refrigeração de 145 carcaças, em que se salienta a existência de três câmaras de duplo regime (arrefecimento e conservação de carcaças) e uma sala de desmancha com capacidade para 10 carcaças de bovino/dia ou 20 carcaças de suínos/dia.

CRECHE “O CASTELINHO” AUMENTA A OFERTA NO FAIAL

O Presidente do Governo inaugurou na passada quarta-feira, dia 31 de outubro, as obras de ampliação e requalificação das instalações da creche “O Castelinho”, um investimento superior a 2,6 ME que veio aumentar a oferta em mais 80 vagas nas valências de creche, jardim de infância e centro de atividades de tempos livres.
A cerimónia de inauguração, decorreu no âmbito da visita que o presidente e os restantes membros do Governo Regional, efetuaram à ilha do Faial na passada semana.
Na sua intervenção Vasco Cordeiro salientou que para além de este ser o “cumprimento de mais um compromisso do Governo” assumido com os faialenses, “este tipo de investimento na área da infância e juventude simboliza bem uma aposta de futuro, não só no futuro de cada uma das crianças que o vão utilizar, mas também do nosso futuro coletivo, como Região e enquanto povo”, afirmou.
De acordo com o governante, este investimento representa “uma garantia de futuro para a instituição”, uma vez que permitiu aumentar a sua capacidade em termos de vagas.
“Este investimento na valência de creche permite o aumento da capacidade em 32 vagas, passando assim a ter capacidade para 84 crianças. Na valência de jardim de infância o aumento da capacidade passou para 11 vagas, passando para o total de 75 crianças e por último no centro de atividades de tempos livres a capacidade aumentou para 50 vagas, que significa duplicar a capacidade existente para precisamente 80 crianças”, deu a conhecer Vasco Cordeiro, salientando que no total das três valências, a instituição passou a dispor de uma capacidade de acolhimento de quase 240 crianças.
“No caso particular da creche, resposta especialmente importante para nós, na medida em que a primeira infância ocupa um lugar central nas nossas políticas sociais, as 32 novas vagas da creche “O Castelinho” somam-se às quase 700 criadas desde 2013 na Região, e que permitiram aos Açores ultrapassar a taxa de cobertura de 33%, valor que corresponde aos indicadores desejáveis definidos pela Organização para a Coopera-ção e Desenvolvimento Econó-mico – OCDE”, referiu Vasco Cordeiro.
Segundo o Presidente, no caso concreto do Faial e desde 2014, o número de vagas disponíveis em creche duplicou, “tendo sido criadas 116 novas vagas com a construção da creche dos Flamengos e agora também com este reforço, fixando a taxa de cobertura da ilha expressivamente acima dos valores fixados por entidades internacionais como a OCDE”, destacou ainda.
Na ocasião, usou também da palavra, o presidente da instituição, Bruno Leonardo, que salientou que esta inauguração é o concretizar de um objetivo “traçado em 2016” pela direção do Lar das Criancinhas, que obrigou “a um esforço complementar de toda a comunidade que envolve a instituição”.
Recordando que, durante o tempo em que decorreu a obra, a instituição funcionou na Trinity House, em “condições que não eram as ideais, mas permitiram a continuidade dos serviços”, Bruno Leonardo, aproveitou para agradecer “o esforço e a dedicação dos trabalhadores e a compreensão e tolerância dos encarregados de educação” das crianças que frequentam “O Castelinho”.
“Com estas instalações, para além da ampliação e melhoria das mesmas, foi possível garantir o cumprimento de vários desígnios há muito reivindicados por pais, associados e trabalhadores, nomeadamente a melhoria das acessibilidades, a transição do ATL entre a EBI da Horta e a Instituição, o alargamento do horário e abertura no período matinal e o resguardo da entrada na instituição nos períodos invernosos”, disse Bruno Leonardo, acrescentando ainda estas obras permitiram ainda “a criação de espaços amplos e adequados ao recreio, o retorno das trabalhadoras da mini creche que estiveram ao serviço do Divino do Espírito Santo e a criação de mais postos de trabalho, pelo aumento da sua capacidade e a qualificação de trabalhadores do quadro”, sustentou o presidente. 

20ME PARA REQUALIFICAR PORTO COMERCIAL E CONSTRUIR EDIFÍCIO PARA AS ATIVIDADES MARÍTIMO-TURÍSTICAS

A visita de dois dias que o Governo Regional efetuou à ilha do Faial, na passada semana, para além das inaugurações do Matadouro da Horta e da creche “O Castelinho”, incluiu a apresentação de vários projetos, nomeadamente do projeto da segunda fase da requalificação do porto comercial da Horta e de construção do edifício de apoio às atividades marítimo-turísticas, um investimento global de cerca de 20 ME.
A apresentação deste investimento, decorreu na manhã do primeiro dia da visita, no Terminal de passageiros da Horta e contou para além do presidente e dos membros do Governo com a presença de entidades e empresários locais ligados ao sector.
Na ocasião, o Presidente do Governo salientou que esta sessão pretendeu, “simbolizar desde logo o prosseguimento de um compromisso político de continuar a investir naquilo que tem a ver com a relação do Faial com o Mar, criando condições para que essa relação se possa traduzir, cada vez mais, num fator de desenvolvimento da ilha e da Região”.
Neste contexto Vasco Cor-deiro, reconheceu que estes projetos tiveram “alguns percalços”, mas espera que agora ultrapassados se entre “definitivamente na via da sua concretização”.
“Cumpridas as formalidades que decorrem da lei, nomeadamente as questões relativas à revisão do projeto e as questões do impacto ambiental, pretendemos que os concursos públicos destas empreitadas avancem”, garantiu o presidente.
O governante lembrou que estes dois investimentos a realizar na ilha, no total, “chegam perto dos 20ME”, a que se juntam “os cerca de 44 ME, investidos nos últimos oito anos, na ilha do Faial em infraestruturas portuárias na cidade da Horta”, salientou.
No que à requalificação do porto diz respeito, o Presidente do Governo salientou que “a solução técnica que foi alcançada permite duplicar a capacidade da marina”, dando assim “resposta à clara via de afirmação do Faial e dos Açores no âmbito internacional”.
Já no que se refere ao novo edifício das marítimo-turísticas, o governante defendeu que “o investimento previsto vem concretizar uma resposta, não apenas ao nível do desenvolvimento que esta atividade tem registado ao nível do Faial, mas também por toda a Região”.
Segundo Vasco Cordeiro, estes investimentos inserem-se “numa estratégia que tem sido prosseguida e desenvolvida e que tem ainda passos a serem concretizados que é constituir o mar como um dos grandes vetores de desenvolvimento da ilha e da nossa Região”, sustentou.
Neste sentido, entende o governante, que “estes investimentos que aqui foram apresentados devem também ser relacionados com duas outras iniciativas que são particularmente importantes: a Escola do Mar dos Açores, que tem as suas obras em fase de conclusão, e o Observatório Oceânico, que se pretende instalar aqui no Faial”, lembrou Vasco Cordeiro. 

 

“NOVO QUARTEL DE BOMBEIROS DA HORTA REPRESENTA MAIS UM COMPROMISSO QUE ESTÁ A SER CUMPRIDO COM A ILHA DO FAIAL”, AFIRMOU RUI LUÍS

O novo quartel de Bombeiros da Ilha do Faial vai custar 2,4 ME. O projeto foi apresentado na passada semana durante a visita de dois dias que o Executivo Regional efetuou a esta ilha.
Na sua intervenção, Rui Luís referiu que este investimento “representa mais um compromisso do Governo que está a ser cumprido com a ilha do Faial, neste caso concreto numa área fundamental para a segurança de pessoas e bens” e insere-se no “objetivo estratégico que o Governo Regional do Açores está a desenvolver por toda a região de forma a dotar os Bombeiros açorianos das melhores condições possíveis para o desempenho da sua relevante missão”, sustentou.
O Secretário Regional da Saúde garantiu que “o novo quartel de Bombeiros do Faial será uma estrutura moderna, adequada às exigências operacionais da cooperação, sem esquecer todas as condições de conforto e de trabalho para quem as vai usar diariamente”, que vem “dar resposta aos constrangimentos a que está sujeito o atual quartel em função da sua antiguidade, localização e dimensão”, melhorando desta forma a prontidão dos meios de emergência através da deslocalização do quartel para uma zona com melhores acessos.
Neste contexto, Rui Luís destacou a cooperação que foi desenvolvida com a Câmara Municipal da Horta nomeadamente, no processo de escolha da localização do novo quartel demonstrando que “a colaboração entre diversas entidades é sempre o melhor caminho para responder de forma mais eficaz às necessidades e anseios das nossas populações”, afirmou.
Rui Luís salientou ainda que o plano de investimentos em infraestruturas, nesta legislatura, na área da Proteção Civil, ascende a cerca de 7 ME.
Para o presidente da Associação Humanitária de Bombeiros Voluntários do Faial (AHBVF), José Manuel Braia a apresentação deste projeto representa um momento de “grande alegria”.
O presidente dos Bombeiros defendeu que este novo quartel, “uma ambição que rapidamente se transformou em necessidade”, irá proporcionar “melhores condições de trabalho aos Bombeiros e Bombeiras, elevar o grau de proteção, prontidão e eficiência dos meios de emergência (eliminando constrangimentos de segurança e de operacionalidade) e, por conseguinte, a prestação de um serviço cada vez melhor à população faialense”.
José Braia salientou ainda que com a construção do novo quartel o trabalho dos bombeiros não acaba por aqui. O presidente pretende continuar a trabalhar para elevar a qualidade e o serviço que a Associação presta aos faialenses.
“Dentro de dois anos, inauguraremos o novo quartel. Mas saibam que não pretendemos ficar por aí! Precisamos de ir mais longe, muito mais longe”, referiu José Manuel Braia, acrescentando que pretende “elevar, ainda mais, o grau de qualidade, prontidão e especialização” do Corpo de Bombeiros, conseguir obter “espaço de manobra, intervenção e de financiamento, para requalificar o parque automóvel”, fazer “memória, construir a narrativa histórica e promover o seu conhecimento sobre a AHBVF e de fixar novas fronteiras para a intervenção operacional do Corpo de Bombeiros da AHBVF”, afirmou o presidente.
Para a concretização destes objetivos, José Braia, espera poder contar com a ajuda do Presidente do Governo e da Câmara Municipal da Horta (CMH), a quem deixou um apelo.
Também o presidente da Câmara, José Leonardo Silva, defendeu a importância desta obra para os bombeiros e destacou a relevância das parcerias entre as entidades envolvidas no sentido de satisfazer os interesses das populações.
“A nível municipal, e reportando-me às responsabilidades que o Município também tem nesta matéria, encaramos este momento como um sinal do trabalho que tem sido realizado por todas as entidades aqui presentes neste momento, desde o Governo Regional, a Câmara Municipal e a Associação Humanitária de Bombeiros Voluntários, com quem temos uma parceria permanente ao nível da implementação e atualização do Plano Municipal de Emergência e Proteção Civil”, afirmou José Leonardo Silva.
A este respeito, o presidente da autarquia faialense, realçou ainda “o consenso alcançado junto dos órgãos sociais desta instituição em termos da localização do novo quartel, bem como a permuta de terreno que está a ser operacionalizada para que possamos simultaneamente ver construído este novo equipamento e reconvertido o espaço existente numa das zonas nobres desta cidade”, sustentou. 

REQUALIFICAÇÃO DO ENTREPOSTO FRIGORÍFICO DA HORTA ARRANCA EM 2019

A obra de requalificação do Entreposto Frigorífico da Horta, um investimento de cerca de 4ME vai arrancar durante o próximo ano, garantiu o Vasco Cordeiro, na apresentação do projeto, que decorreu no segundo dia da visita do Governo à ilha do Faial.
O presidente do executivo açoriano, avançou ainda que a autorização para o lançamento do concurso público da empreitada já se encontra realizada.
No entender do governante trata-se de um investimento que se “reveste de especial importância não só para os armadores que efetuam as suas descargas aqui, no porto da Horta, mas também para toda a frota atuneira, que poderá utilizar esta infraestrutura também para as descargas regulares de tunídeos”, disse.
Vasco Cordeiro, observou ainda que “de modo a cumprir o objetivo de valorização do pescado, nos Açores e no Faial, e depois de um processo de concertação e de melhoria do primeiro projeto de 2016, considera-se importante avançar com as obras de requalificação deste Entreposto”, reforçou.
O presidente explicou que para além das valências de congelação e armazenamento de pescado, verificou-se a necessidade de criar “uma área para o processamento e transformação de pescado fresco como forma de impulsionar também novas formas de tratar o atum na Região, promovendo a exploração de novos mercados que permitam acrescentar mais valor, contribuindo, deste modo, para o aumento do rendimento dos pescadores, e ainda a criação de um espaço destinado à Associação de Produtores de Atum e Similares do Açores (APASA)”.
De acordo com Vasco Cordeiro este investimento integra-se numa “estratégia mais vasta do Governo dos Açores de reforço e melhoria da rede de frio da Região”, contribuindo desta forma, “para a valorização dos produtos da pesca e para que este setor se afirme, cada vez mais, na criação de emprego e de riqueza no arquipélago”, disse.
Neste âmbito, o Presidente do Governo anunciou que está também a decorrer a obra de melhoramento e ampliação do Entreposto Frigorífico das Velas, em São Jorge, uma empreitada que corresponde a um investimento de mais de um milhão de euros e que deverá estar concluída em agosto do próximo ano, que em setembro foi aberto um concurso internacional para uma nova central de produção e armazenamento de gelo para o Porto de Pescas de Rabo de Peixe, em São Miguel, num investimento de quase 500 mil euros, estando prevista a sua instalação durante o segundo trimestre do próximo ano e que até ao final deste ano serão lançados concursos para a requalificação e modernização dos entrepostos frigoríficos das Lajes das Flores e de Vila do Porto, em Santa Maria, que deverão arrancar durante o primeiro trimestre de 2019 e que correspondem a um investimento superior a um milhão de euros.
Em termos de investimentos para o sector o governante revelou ainda que a requalificação do Entreposto Frigorífico da Madalena, na ilha do Pico, deverá arrancar em 2020, após a conclusão da obra do Entreposto da Horta, num valor de investimento estimado de cinco milhões de euros. 

O MEU COMENTÁRIO SOBRE ESTE ARTIGO