A Vida no Campo em cena no Teatro Micaelense

0
21
DR

No próximo sábado, 11 de maio, o Teatro Micaelense acolhe uma apresentação da peça “A Vida no Campo”, uma adaptação livre do diário homónimo de Joel Neto.

Um casal vindo da cidade. Uma velha casa de família. Um recomeço – no campo. Podia começar assim o resumo de “A Vida no Campo”. E, no entanto, não é apenas de idílio que fala a vida rural de hoje. Nem mesmo nesses milagrosos casos em que tudo nela é usufruto dos encantos da natureza e da vida simples. Há uma história que se muda com aqueles se mudam. E há sonhos por concretizar, frustrações acumuladas, mágoas escondidas com que um dia será preciso travar o combate que se adiou…

Com encenação de Luísa Pinto, interpretações de António Durães e Filipa Guedes e participação especial de Fernando Alves, jornalista e radialista, “A Vida no Campo” é a história de uma crise conjugal. O texto é da autoria de Joel Neto e Catarina Ferreira de Almeida, os dois protagonistas do livro a que vai buscar o nome, e põe em oposição a vida urbana e a vida rural, usando como epítome a vida insular – que é talvez um pouco de ambas – mas determinado sobretudo a decifrar o que, no diálogo e nos silêncios estabelecidos entre as duas (ou as três), as separa e aproxima.

No dia da apresentação da peça, durante a manhã, a encenadora orientará “Da Terra Para O Corpo – Da Terra Para O Palco”, um workshop gratuito e destinado a amadores e profissionais de teatro. Pretende-se explorar processos criativos através da pesquisa e experimentação típicas da contemporaneidade: cruzamentos disciplinares e de saberes, artístico, científico, antropológico, introspetivo, teórico e empírico. Os participantes coabitarão num contexto estimulante do pensamento criativo e da capacitação do olhar levantando em conjunto, elementos simbólicos representativos de vivências coletivas, tradições próprias e costumes peculiares.

À apresentação do espetáculo seguir-se-á uma conversa com Joel Neto.

 

O MEU COMENTÁRIO SOBRE ESTE ARTIGO