Abastecimento às Flores – PCP exige que o Governo tome medidas urgentes

0
65
blank
DR/PCP

Passado quase um mês da passagem do furacão Lorenzo e da destruição do porto
comercial das Lajes das Flores, o abastecimento de bens e mercadorias à Ilha das Flores
encontra-se num estado lamentável com muitos empresários próximos da ruptura de
stocks.
Se compreendíamos que no imediato pós-Lorenzo tivesse que ser encontrado uma
solução rápida como o barco Paulo da Gama (da TMG), estas quatro semanas que já se
passaram provaram-nos que esta não é nem foi uma boa solução. Seja pela escassa
quantidade de transporte (apenas o volume de dez contentores), seja pela sua fraca
navegabilidade pois o Governo havia prometido uma viagem semanal do Paulo da Gama
mas nestas últimas quatro semanas só trouxe abastecimento duas vezes até às Flores.
Se a TMG está a servir alguém, não é certamente a Ilha das Flores.
Os empresários e comerciantes florentinos estão muito próximo de ruptura de stocks. Há
comerciantes e empresários que ainda não receberam quaisquer mercadorias suas que
estavam agendadas para chegar às Flores no antigo barco regular na semana do Lorenzo.
A Representação Parlamentar do PCP exige que o Governo Regional encontre com
urgência uma solução para o abastecimento de mercadorias e bens para a Ilha das Flores.
É necessário um barco que transporte quarenta a cinquenta contentores para as Flores.
A economia da Ilha das Flores não aguentará por muito mais tempo se não tiver meio de
receber mercadorias e bens para venda local, bem como os agricultores que continuam
impossibilitados de exportar as mil cabeças de gado vivo que está pronto para sair das
Flores.